Bolsas dos EUA têm melhor dia desde 11 de setembro

Os mercados americanos tiveram ontem o melhor dia desde os atentados de 11 de setembro, depois que a Cisco Systems anunciou um lucro maior que a expectativa dos analistas, alimentando as esperanças de uma recuperação nos lucros das empresas nos Estados Unidos. As Bolsas americanas registraram fortes altas, influenciando mercados de todo o mundo, incluindo a Bovespa, que subiu 2,2%. O Índice Dow Jones, das principais ações americanas, subiu 3,1%, para fechar em 10.142 pontos, registrando a maior alta porcentual desde 24 de setembro. O Índice Nasdaq, que concentra ações de tecnologia dos Estados Unidos, subiu 7,8%. "Finalmente os investidores sentiram que talvez o mercado tenha chegado ao fundo do poço", disse Rick Meckler, diretor da firma de investimentos LibertyView Capital Management. "Eles estão em busca de ações que caíram muito e acham que este é um ponto bom para entrar no mercado." A ação da Cisco teve valorização de 24,4% só no pregão de ontem, depois que a maior fabricante do mundo de aparelhagem para o tráfego de Internet divulgou resultados trimestrais na terça-feira à noite. A empresa da Califórnia registrou um lucro líquido de US$ 729 milhões no trimestre que terminou em 27 de abril, comparado a um prejuízo de US$ 2,69 bilhões no mesmo período do ano passado. O lucro operacional ficou em US$ 0,11 por ação, US$ 0,02 acima da previsão dos analistas de Wall Street. As vendas da Cisco subiram 2%, de US$ 4,73 bilhões para US$ 4,82 bilhões no trimestre. A própria empresa informou em seu balanço que a receita dos seus dez principais concorrentes caiu em média 40% no trimestre, destacou a corretora Merrill Lynch em um relatório. Masmo assim, o sucesso da Cisco empurrou os papéis de concorrentes. Empresas que produzem produtos complementares aos da Cisco estavam entre as que mais subiram no mercado americano, como Juniper Networks, 14,1%, Extreme Networks, 30%, Foundry Networks, 15,8%, e Ciena, 21%. As ações das indústrias de semicondutores para comunicações também avançaram, assim como as de fabricantes de circuitos eletrônicos. A ação da Cisco, que domina o mercado de equipamentos de rede usados por grandes empresas, chegou a custar US$ 82 em março de 2000. Ontem, ela subiu US$ 2,70, para fechar cotada a US$ 15,78. No auge de sua valorização, a Cisco chegou a ter um valor de mercado de US$ 565 bilhões e ficar entre as três maiores empresas americanas em Bolsa, ao lado da Microsoft e da General Electric. Hoje, esse valor está em cerca de US$ 95 bilhões. As ações do setor financeiro também foram beneficiadas, depois que surgiram relatos de que a corretora Merrill Lynch, a maior dos EUA, e a procuradoria de Nova York estão trabalhando em um acordo no processo que investiga conflitos de interesse na instituição financeira. As ações da Merrill Lynch subiram 8,1%, as da Lehman Brothers avançaram 6,8% e as da Goldman Sachs, 6,2%. A Merrill Lynch ofereceu cerca de US$ 50 milhões para encerrar a acusação do procurador-geral de Nova York, Eliot Spitzer, de que interesses na área de banco de investimento, em que a corretora também atua, comprometeram a análise de ações da instituição, segundo uma reportagem publicada no Wall Street Journal, que citou fontes familiarizadas com as negociações. Otimismo passageiroMas analistas alertaram que o otimismo das Bolsas pode ser passageiro, atribuindo-o mais a uma recuperação das quedas recentes dos mercados do que a uma tendência firme de melhora na economia americana. "Os investidores estavam esperando uma razão para comprar. O catalisador hoje foi a Cisco", disse Jack Francis, diretor do UBS Warburg. "Mas isso é só uma alta de reação. Nada de fundamental mudou na América corporativa e não acho que seja a recuperação." "Passamos por um trimestre difícil. Nenhuma das principais empresas de tecnologia tinha algo de positivo a dizer em termos do que esperam daqui em diante - foi talvez a primeira a fazer isso", disse Owen Fitzpatrick, diretor do Departamento de Ações dos EUA no Deutsche Bank Private Banking. ContágioO otimismo em Wall Street contaminou mercados do mundo todo ontem. O Índice IPC, da Bolsa do México, fechou em alta de 1,15%. O principal índice do mercado alemão fechou em alta de 3,21%. A Bolsa de Madri subiu 2,24% e a de Paris, 2,50%. As ações do setor de petróleo também subiram, em reação à alta dos preços internacionais do produto, depois do novo atentado terrorista em Israel. Os papéis da GE foram os mais negociados nos EUA ontem, depois que a companhia reiterou sua previsão de um aumento de mais de 10% nos lucros este ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.