Bolsas em forte queda durante a manhã

As bolsas de Nova York reagiram muito mal ao resultado divulgado ontem pela IBM ontem. E, na expectativa para os balanços que ainda sairão hoje, a Nasdaq - bolsa dos EUA que negocia papéis do setor de tecnologia e Internet - chegou a despencar 5,8% na abertura. Mesmo o índice Dow Jones - que mede a valorização das ações de empresas mais negociadas na Bolsa de Nova York - caiu mais de 4%. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) operou de acordo com o mercado em Nova York. A Bolsa chegou a cair 4,21% quando Wall Street operava nas mínimas e depois reduziu a queda quando o Nasdaq melhorou. Mas a Bovespa mostrou menor vigor na recuperação e, no início da tarde, ainda operava em queda expressiva de 2,37%. Há pouco estava em queda de 2,00%. A Nasdaq operava em alta de 0,59% e a Dow Jones em baixa de 1,17%.O preço do petróleo continua mexendo com os negócios no mercado financeiro. Os negócios com o petróleo bruto do tipo Brent para entrega em novembro estão em alta de 0,31% em Londres, a US$ 31,44 por barril. Nathan Blanche, da consultoria Tendências, considera que o petróleo é um problema menos grave hoje, mas ainda traz riscos. Instabilidade também no mercado de juros e dólarA instabilidade no cenário externo também afeta o comportamento dos juros e do dólar. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - pagam juros de 17,260% ao ano, frente a 17,170% ao ano registrados ontem. O dólar está cotado a R$ 1,8750 na ponta de venda dos negócios - alta de 0,16% em relação aos últimos negócios de ontem.No cenário interno, a economia do País dá sinais de estabilidade. Mas, devido às oscilações internacionais, não há nenhum analista apostando em corte da taxa básica de juros - Selic. De acordo com os especialistas, o Comitê de Política Monetária (Copom) deve decidir hoje pela manutenção dos juros em 16,5% ao ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.