Bolsas européias abrem em alta com novo plano dos EUA

Paris subia 2,69%, Londres ganhava 1,32% e Frankfurt registrava alta de 1,12%

Efe,

21 de outubro de 2008 | 06h36

A possibilidade do governo americano anunciar novas medidas para conter a crise financeira animou o mercado europeu e as bolsas operam em alta nesta terça-feira, 21. Bolsas da Ásia e da Oceania fecham em altaConsultor responde a dúvidas sobre crise  Como o mundo reage à crise  Entenda a disparada do dólar e seus efeitosEspecialistas dão dicas de como agir no meio da crise A cronologia da crise financeira  Dicionário da crise   O índice geral da Bolsa de Paris operava nos primeiros minutos do pregão em alta de 2,69%, aos 3.541 pontos. O mesmo acontecia em Londres. O índice FTSE-100 ganhava 56,73 pontos (1,32%), para 4.339,4. Em Milão, o índice S&P/MIB subia 1,23%, aos 22.455 pontos e o índice geral Mibtel registrava lucro de 1,30%, para 17.189 pontos. O índice DAX 30 da Bolsa de Frankfurt subia 1,12%, aos 4.835 pontos. E em Zurique, a alta era de 113,34 pontos (1,82%), para 6.329,8. O índice Ibex-35 da Bolsa de Madri ganhava 81 pontos (0,72%), aos 10.025. O Índice Geral de Madri registrava lucro de 1,03%, para 1.075 pontos. Em audiência no Congresso, o presidente do Fed, Ben Bernanke, demonstrou apoio a um segundo plano de estímulo fiscal nos Estados Unidos. "Uma vez que a economia vai continuar frágil por vários trimestres e há risco de uma desaceleração prolongada, parece-me apropriado que o Congresso pense em um pacote fiscal neste momento", disse Bernanke, em seu primeiro endosso público à medida. A Casa Branca vinha resistindo a um novo pacote para estimular o consumo, mas o apoio de Bernanke dá força aos democratas, que querem injetar até US$ 300 bilhões na economia. No início do ano, o Congresso aprovou um pacote de estímulo de US$ 168 bilhões, sendo US$ 100 bilhões em restituições de impostos de US$ 600 a US$ 1,2 mil a cada americano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.