Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Bolsas europeias abrem em leve alta

Movimento ocorre apesar da crise de dívida na zona do euro e tensão na Coreia 

Danielle Chaves, da Agência Estado,

20 de dezembro de 2010 | 08h16

LONDRES - As bolsas europeias operam em leve alta, apesar das contínuas preocupações com a crise de dívida na zona do euro e com a instabilidade na Península Coreana. O forte frio que atinge o continente desde o fim de semana colabora para os ganhos das ações dos setores de utilidades públicas e energia, enquanto pressiona os papéis das varejistas, já que os consumidores não estão saindo de casa para fazer compras.

O rebaixamento da Irlanda em cinco notas pela Moody's na semana passada segue na lembrança dos investidores, assim como o alerta do Fundo Monetário Internacional (FMI), também na semana passada, de que a ameaça de disseminação da crise para outros países europeus é "significativa".

Nesta segunda-feira, o ingrediente de preocupação a mais vem da Ásia, onde os planejados exercícios militares da Coreia do Sul na ilha Yeonpyeong levantaram a possibilidade de uma retaliação pela Coreia do Norte. Há relatos de que os sul-coreanos estão progredindo com os testes de artilharia apoiados pelos EUA. Uma sessão de emergência do Conselho de Segurança da ONU para tratar das tensões da Península Coreana foi realizada a pedido da Rússia.

Às 8h08 (de Brasília) Iberdrola subia 1,40% em Madri e GDF Suez avançava 1,10% em Paris. Em Londres, a empresa de jogos online 888 Holdings saltou 20% depois de informar que está "no estágio inicial de discussão a respeito de uma possível transação" envolvendo uma oferta de compra feita pela Ladbrokes. No mesmo horário, Londres subia 0,14%, Paris avançava 0,60% e Frankfurt ganhava 0,38%.

O euro seguia em queda, pressionado pela crise na Europa. Às 8h08, a moeda recuava para US$ 1,3152, de US$ 1,3182 no fim da tarde de sexta-feira. Mais cedo o euro atingiu uma nova mínima histórica diante do franco suíço, a 1,2719 franco, com os investidores em busca de segurança em meio à crise europeia. "Como os volumes estão baixos, qualquer movimento na relação euro/franco tende a ser grande", comentou Roland Raczek, analista da Bayern LB. Enquanto isso, o dólar declinava para 83,79 ienes, de 83,96 ienes na sexta-feira.

No horário citado, o petróleo para janeiro negociado na Nymex, que vence hoje, subia 0,06%, para US$ 88,07 por barril, enquanto o contrato para fevereiro caía 0,05%, para US$ 88,56 por barril. O cobre para março tinha alta de 0,40%, para US$ 4,1755 por libra-peso. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.