Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Bolsas europeias caem, afetadas por mineração e energia

Após marcar mais uma máxima anual no começo da jornada, índice pan-europeu Dow Jones Stoxx 600 caiu 0,6%

AE,

26 de agosto de 2009 | 15h48

As bolsas europeias perderam terreno nesta quarta-feira, 26, interrompendo quatro sessões de ganhos, afetadas pelo fraco desempenho das ações das empresas de mineração e de petróleo e gás natural.

 

Após marcar mais uma máxima anual no começo da jornada, o índice pan-europeu Dow Jones Stoxx 600 caiu 0,6% para 236,54 pontos.

 

Na Grã-Bretanha, o índice FTSE 100 caiu 0,53% para 4.890,58 pontos, enquanto na Alemanha o índice DAX de Frankfurt perdeu 0,63% e fechou em 5.521,97 pontos. Em Paris, o índice CAC-40 perdeu 0,33% e fechou em 3.668,34 pontos.

 

As ações das empresas de petróleo e gás perderam valor, com os papeis da BP em queda de 1% e os da petrolífera francesa Total com perdas de 0,9%.

 

Os mercados futuros do petróleo caíram nesta quarta-feira, com o barril vendido a US$ 71 durante parte da jornada em reação a um aumento nos estoques norte-americanos da commodity. Na terça-feira, o preço futuro do barril do petróleo caiu em US$ 2,32 e fechou em queda de 3,1%, a US$ 72,05 na New York

Mercantile Exchange (Nymex).

 

Os investidores realizaram lucros no setor de mineração. As ações da Rio Tinto fecharam em queda de 4% e as da Eurasian Natural Resources recuaram 1,2%.

 

Entre os destaques positivos na Europa, as ações da Alcatel-Lucent ganharam 12% na jornada, em meio a rumores de que uma empresa chinesa teria feito uma proposta de compra pela companhia francesa, segundo a agência de notícias Reuters.

 

A Alcatel não quis comentar o assunto e anunciou paralelamente que assinou um contrato de compras centralizado com a China Telecom, para prover e manter à operadora chinesa serviços de Backbone em rede IP em dez províncias do país asiático.

 

O banco de investimentos francês Natixis elevou a recomendação das ações da Alcatel-Lucent para "comprar", afirmando que os resultados da companhia devem melhorar no segundo semestre.

 

Já as ações do Natixis deram um salto de 39% na Bolsa de Paris quando voltaram a ser negociadas nesta quarta-feira, após suspensão na terça-feira.

 

O Natixis informou que seu banco controlador, o BPCE, garantirá ao redor de 35 bilhões de euros (US$ 50,1 bilhões) dos seus ativos após ter anunciado uma perda líquida mais limitada no segundo trimestre deste ano.

 

Em Frankfurt, as ações da gigante seguradora alemã Allianz tiveram alta de 3,2%.

 

As empresas de finanças estão entre alguns dos setores mais suscetíveis a uma melhora no ambiente econômico e, mais cedo, o Instituto Ifo divulgou que seu índice de clima para negócios da Alemanha cresceu pelo quinto mês seguido em agosto, reforçando a perspectiva de que a maior economia da União Europeia está lentamente se recuperando da recessão.

 

O índice de sentimento para negócios medido pelo Ifo cresceu a 90,5 pontos em agosto, acima dos 87,4 pontos em julho, ultrapassando as expectativas, que eram de um incremento para 88,8 pontos.

 

As ações da cervejaria holandesa Heineken subiram 5,8%, após a empresa ter informado que seu lucro líquido saltou 20% no primeiro semestre para 489 milhões de euros (US$ 700 milhões), com uma receita 11% maior no período, para 7,14 bilhões de euros, após cortes de custos e outros fatores.

 

As ações da francesa Suez Environnement tiveram uma alta de 11,5%. O lucro no primeiro semestre caiu 13% para 175 milhões de euros, resultado superior ao previsto pelos analistas. O declínio foi contido por um desempenho forte na divisão europeia de águas.

 

As ações da editora irlandesa Paddy Power avançaram 5,8% após seu lucro líquido ter caído 29,4% no primeiro semestre para 29,5 milhões de euros, mas a empresa cumpriu suas metas de faturamento.

 

"O crescimento do braço on line da Paddy Power foi subavaliado pelo mercado", disse Jaime Ramos Martin, gerente de fundos da Standard Life European.

 

No lado da baixa, as ações da gigante britânica da propaganda WPP caíram 1,4%.

 

O lucro da empresa no primeiro semestre caiu 47,9% para 108,4 milhões de libras esterlinas (US$ 177 milhões), ao refletir "o impacto de uma significativa contração econômica global em muitas regiões e setores dos serviços". As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
mercado financeiroEuropabolsaações

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.