Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Bolsas europeias fecham em alta com varejistas e mineradoras

Índice pan-europeu Dow Jones Stoxx 600 ganhou 1,1% na sessão; ações da L'Oreal e Carrefour dispararam

André Lachini, da Agência Estado,

28 de agosto de 2009 | 15h53

As bolsas europeias subiram e fecharam nesta sexta-feira, 28, em alta, pela primeira vez em três sessões, com os investidores brindados pelos resultados de empresas como a L'Oreal e o Carrefour.

 

O índice pan-europeu Dow Jones Stoxx 600 ganhou 1,1% na sessão para 237,70 pontos. O principal índice da Bolsa de Paris, o CAC-40, subiu 1,22% para 3.693,14 pontos; o índice DAX de Frankfurt fechou a sessão com ganhos de 0,86% para 5.517,35 pontos; e o índice FTSE 100 de Londres ganhou 0,81% para 4.908,90 pontos.

 

As mineradoras também tiveram bom desempenho, com as ações da BHP Billiton ganhando 1,7% e da Rio Tinto 1,8%.

 

Entre as empresas que divulgaram balanços, as ações da L'Oreal dispararam 7,4%. A gigante francesa dos cosméticos reportou uma queda de 14% no lucro líquido do primeiro semestre, para 1,1 bilhão de euros, mas disse que as vendas irão melhorar no segundo semestre deste ano. A Merrill Lynch melhorou a recomendação das ações da L'Oreal para compra após os resultados serem divulgados.

 

"Nós acreditamos que a L'Oreal apresenta um número de características positivas que devem ser vistas a longo prazo: marcas fortes, sólida performance no mercado de ações, uma recuperação gradual dos volumes de vendas que segue em frente", informou a Merrill Lynch.

 

O banco UBS também elevou a recomendação da L'Oreal, de neutra para venda, na crença de que o risco de uma piora futura nos números da empresa é muito remoto.

 

Também em Paris, as ações da gigante varejista Carrefour subiram 4,6% após a empresa ter informado que persegue o cumprimento das suas metas para 2009. O Carrefour informou uma perda líquida de 58,1 milhões de euros no primeiro semestre do ano. No ano passado, o Carrefour teve um lucro de 746,5 milhões de euros no período. As vendas recuaram 1,6% para 41,3 bilhões de euros.

 

"Os resultados são parte disso, emprestaram um pequeno impulso, embora os volumes estejam muito baixos novamente", disse Andrew Lynch, gerente de fundos na Schroder Investment management, falando sobre os ganhos desta sexta-feira.

 

Também em consequência dos resultados financeiros, as ações do Independent News & Media reverteram ganhos iniciais e caíram 4,2%. A editora disse que continua a manter discussões construtivas com os detentores de bônus e bancos sobre os requerimentos exigidos para o seu refinanciamento. O Independent News & Media registrou perda líquida de 34,7 milhões de euros. No ano passado, a empresa lucrou 80,5 milhões de euros.

 

Também no lado da baixa, as ações da varejista francesa de artigos de luxo Hermes caíram 1%. A companhia informou que seu lucro líquido caiu 7% no primeiro semestre para 125,4 milhões de euros, atingido pelo declínio na taxa de retorno sobre investimentos financeiros e por ajustes de valores feitos em instrumentos cambiais.

 

Fora do noticiário de balanços, as ações do Commerzbank subiram 7,2% depois que o ministro de Finanças da Alemanha rejeitou as especulações de mercado de que o governo poderia retirar sua participação no banco. Atualmente, o governo alemão tem 25% mais um ação no Commerzbank.

 

No setor de tecnologia, as ações da fabricante de microprocessadores STMicroelectronics avançaram 12,4%. Analistas na Merrill Lynch disseram que a empresa é uma suas principais apostas no setor. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
mercado financeirobolsasEuropa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.