Bolsas europeias fecham em baixa com realização antecipada

Mercado financeiro do Velho Mundo cedeu com fraqueza das companhias do setor de bebidas e das montadoras

André Lachini, da Agência Estado,

27 de agosto de 2009 | 15h08

As bolsas europeias fecharam em baixa nesta quinta-feira, 27, com os investidores realizando lucro dos ganhos obtidos ao longo de agosto antes do encerramento do mês. A fraqueza das ações de companhias do setor de bebidas, como a gigante Diageo e das montadoras ofuscaram os ganhos do banco francês Crédit Agricole e das empresas de energia e serviços.

 

O índice pan-europeu Dow Jones Stoxx 600 caiu 0,5% para 235,24 pontos, estendendo o declínio da quarta-feira, que interrompeu quatro sessões consecutivas no terreno positivo.

 

O índice CAC-40, o principal da Bolsa de Paris, perdeu 0,54% e caiu para 3.648,53 pontos; o índice alemão Dax 30 caiu 0,94% para 5.470,33 pontos; e o índice FTSE 100 da Bolsa de Londres caiu 0,43% para 4.869,35 pontos.

 

O fraco desempenho das bolsas europeias foi precedido por um fechamento negativo dos mercados asiáticos e reforçado pela falta de vigor das ações americanas.

 

Na manhã desta quinta-feira, dados norte-americanos mostraram que a recessão enfraqueceu um pouco no segundo trimestre e que os pedidos de seguro-desemprego caíram pela primeira vez em três semanas.

 

As ações da indústria automotiva recuaram, com a Daimler perdendo 2,7% e a BMW caindo 2,9% em Frankfurt.

 

As ações das indústrias alimentícia e de bebidas também se enfraqueceram, com os papeis da Diageo recuando 4,1%, depois da companhia ter anunciado um lucro que ficou no piso das expectativas no ano fiscal 2009 e emitido uma previsão de crescimento mais lento no próximo ano, citando fraca demanda por bebidas premium ao redor do globo. A Diageo informou um crescimento de 7% no lucro líquido no seu ano fiscal, para 1,6 bilhão de libras esterlinas.

 

Também no setor de bebidas, as ações da empresa irlandesa de bebidas C&C Group tiveram alta de 18,2% em Londres. A empresa informou que está adquirindo as operações na Irlanda, Irlanda do Norte e Escócia da Anheuser-Busch InBev por 180 milhões de euros. As ações da InBev caíram 1,9% em Bruxelas.

 

No setor bancário, as ações do banco Crédit Agricole tiveram alta de 3,7% em Paris. Antes da abertura do mercado, o banco anunciou que registrou um aumento no lucro líquido para 201 milhões de euros no segundo trimestre, sobre 76 milhões de euros, resultado que superou as projeções dos analistas. A receita líquida do banco cresceu 40,3%, para 4,56 bilhões de euros no período.

 

Outros bancos tiveram bom desempenho, incluído o francês Natixis. As ações da GDF Suez tiveram alta de 2%. Apesar da GDF Suez ter anunciado uma queda de 6,3% no seu lucro líquido do primeiro semestre, para 3,2 bilhões de euros, resultado superou as expectativas dos analistas.

 

As ações do grupo de hotéis Accor tiveram alta de 5,7%, após a empresa informar que irá rever a decisão de separar seus hotéis de negócios da divisão que provê serviços e benefícios a funcionários de outras companhias. A Accor teve perda líquida de 150 milhões de euros na primeira metade do ano.

 

As ações da fabricante de telefones celulares Nokia subiram 2,3%. A Nokia lançou um celular com software baseado no sistema operacional Linux.

 

As ações da BAE Systems tiveram uma forte queda de 6%, após o Pentágono informar que optou por dar um importante contrato do Exército dos Estados Unidos, para a fabricação de veículos táticos, à Oshkosh Corp. dos EUA. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Europamercado financeirobolsas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.