Bolsas europeias fecham em queda com perdas de mineradoras

Após ter subido durante quatro das últimas 5 semanas, o índice pan-europeu Dow Jones Stoxx 600 recuou 0,8%

André Lachini, da Agência Estado,

21 de setembro de 2009 | 14h59

As bolsas europeias fecharam em baixa, pressionadas pelas perdas das ações de empresas do setor de matérias primas, que tinham se beneficiado da recuperação econômica global. Após ter subido durante quatro das últimas cinco semanas e alcançado uma alta de 55% sobre as mínimas de março, o índice pan-europeu Dow Jones Stoxx 600 recuou 0,8% para 243,05 pontos. O setor dos metais, frequentemente volátil, liderou o recuo.

 

A queda foi mais sentida na Bolsa de Londres, onde estão listadas muitas mineradoras e bancos.

 

Tanto o Citigroup quando o Goldman Sachs emitiram relatórios sobre o setor que ajudaram a pressionar em baixa de 3,29% nas ações da Kazakhmys e de 3,48% da Vedanta Resources. Já as ações da Rio Tinto recuaram 3,43%. "Os preços das commodities subiram muito e estão sendo precificados numa retomada do ciclo da produção industrial global, sugerindo que ganhos futuros serão mais contidos", disseram analistas do Citigroup.

 

As ações da BHP Billiton caíram 2,74%. Na semana passada, uma matéria do Wall Street Journal informou que a mineradora reservou US$ 18 bilhões em dinheiro durante o ano passado e espera usar a soma, junto a outros empréstimos, para adquirir grandes rivais.

 

As ações dos bancos também fecharam em baixa. Os papéis do Royal Bank of Scotland caíram 5,15%, a partir de relatos de que a instituição poderá emitir mais de 4 bilhões de libras (US$ 6,5 bilhões) em ações. O dinheiro deverá ajudar a limitar o crescimento da participação do governo britânico no banco que, no entanto, continuará comprometido com o programa estatal de proteção de ativos.

 

As ações do Lloyds Banking Group, que na semana passada buscava reduzir ou suspender sua participação no programa britânico, caíram 2,77%. O HSBC Holdings perdeu 1,15% e o Standard Chartered perdeu 1,54%.

 

O índice Dax-30, da Bolsa de Frankfurt, DAX caiu 0,62% para 5.668,65 pontos; o índice FT-100, da Bolsa de Londres, caiu 0,74% para 5.134,36 pontos; o índice CAC 40, da Bolsa de Paris, se enfraqueceu em 0,41% para 3.812,16 pontos; e o índice Ibex-35, da Bolsa de Madri, perdeu 0,42% para 11.727,40 pontos.

 

As ações das bolsas americanas também abriram a sessão em queda, pressionadas pelas preocupações de que o Federal Reserve poderá sinalizar uma estratégia de saída da sua política monetária frouxa no encontro desta semana. Isso atingiu as ações e deu suporte ao dólar.

 

As ações da espanhola Endesa caíram 5,58%, após o UBS rebaixar a nota das ações da gigante espanhola de energia, de neutra para venda. O banco previu que o mercado espanhol de eletricidade e gás natural terá suprimento extra até 2013.

 

O Citigroup também rebaixou a nota da Endesa, de compra para manutenção, e também rebaixou os papéis das empresas espanholas de energia Iberdrola e Acciona, para manter, e da Gas Natural para venda.

 

As ações da Capgemini subiram 2,7% após a Dell informar que comprará o rival Perot Systems, de tecnologia da informação. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
mercado financeiroEuropabolsas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.