Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Bolsas européias fecham em queda com temor de recessão profunda

As bolsas de valores européias terminaram em forte queda nesta terça-feira, pressionados por ações do setor bancário e ligadas a commodities. Perspectivas corporativas fracas e uma série de dados econômicos desanimadores aumentaram as preocupações quanto a uma recessão global mais profunda. O índice das principais ações européias FTSEurofirst 300 caiu 4,01 por cento, a 885 pontos, depois de ter subido 0,9 por cento na véspera. O índice perdeu mais de 41 por cento este ano, pressionado pela crise de crédito e a consequente desaceleração econômica. O setor bancário foi o que mais puxou o índice para baixo, com destaque para as ações de Lloyds, HBOS, UBS e HSBC. A principal queda do índice foi do maior banco italiano, o Intesa Sanpaolo, que se desvalorizou 16,9 por cento. O banco seguiu o rival doméstico UniCredit ao tomar decisões difíceis para se fortalecer, informando que não irá fazer pagamento de dividendos em dinheiro. Ações ligadas a commodities também foram pressionadas pelo declínio dos preços do petróleo e de metais. "Não é surpresa que investidores continuem assustados por uma onda de dados decepcionantes, e que previsões em relação ao crescimento econômico por todo o mundo continuem a cair", disse Henk Potts, estrategista de ações do Barclays Stockbrokers. Em LONDRES, o índice Financial Times fechou em queda de 3,57 por cento, a 4.246 pontos. Em FRANKFURT, o índice DAX recuou 5,25 por cento, para 4.761 pontos. Em PARIS, o índice CAC-40 caiu 4,83 por cento, para 3.336 pontos. Em MILÃO, o índice Mibtel encerrou em baixa de 5,13 por cento, a 16.197 pontos. Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou queda de 4,11 por cento, a 8.911 pontos. Em LISBOA, o índice PSI20 teve recuo de 1,3 por cento, para 6.603 pontos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.