Bolsas Europeias operam em alta com bancos

Movimento acompanha pregão asiático, que teve influências locais e de Wall Street

estadao.com.br,

10 de dezembro de 2009 | 08h07

A exemplo dos mercados asiáticos, as principais bolsas europeias abriram nesta quinta-feira, 10, com sinais distintos. Às 10h40 de Brasília, porém, os principais mercados já operavam no terreno positivo. O FTSE-100, de Londres, tinha alta de 0,66%, aos 5.239 pontos. Em Frankfurt, o DAX avançava 0,98%, para 5.703 pontos. O CAC 40, de Paris, por sua vez, registrava desvalorização de 0,91%, aos 3.791 pontos. Os bancos recuperam terreno, assim como as seguradoras, enquanto as montadoras devolvem os ganhos recentes.   

 

Na Ásia, as bolsas tiveram resultados mistos também nesta quinta-feira. Alguns mercados que sofreram com a realização de lucros, enquanto outros foram beneficiados por fatores locais e pela ligeira recuperação de Wall Street.

 

A Bolsa de Hong Kong apresentou queda pelo quinto pregão seguido, novamente influenciada pelo declínio dos bancos chineses, devido aos persistentes temores de um aumento de capital, e às imobiliárias chinesas, que sofreram com a decisão do governo de rever medidas de estímulo.

 

O Hang Seng caiu 41,72 pontos, ou 0,2%, e terminou aos 21.700,04 pontos. Bank of China e China Construction Bank baixaram 0,7%. No setor imobiliário, China Overseas recuou 0,1% e China Resources Land desabou 2%. Já a estreante China Longyuan Power, empresa de energia eólica, avançou 9,4%.

 

Por sua vez, as Bolsas da China fecharam em ligeira alta, lideradas pelos fabricantes de produtos eletrônicos. As medidas do governo para sustentar a recuperação econômica encontraram uma resposta fria dos investidores. O Xangai Composto subiu 0,5% e encerrou aos 3.254,26 pontos. O Shenzhen Composto ganhou 0,7% e terminou aos 1.220,02 pontos. Hisense Electric avançou 5,7% e Gree Electric Appliances aumentou 2,5%. Entre as montadoras, FAW Car recuou 0,5% e SAIC perdeu 0,4%. As imobiliárias China Vanke e Gemdale caíram 1%.

 

A demanda dos exportadores por yuan fez a unidade chinesa se valorizar sobre a moeda norte-americana. No mercado de balcão, a cotação de compra e venda do dólar fechou a 6,8266 yuans, abaixo do fechamento de quarta-feira, que foi de 6,8276 yuans.

 

Na Coreia do Sul, compras programadas ajudaram a reverter as perdas iniciais da Bolsa de Seul, decorrentes das preocupações com o impacto do fim das medidas expansionistas do governo. O índice Kospi fechou em alta de 1,1%, aos 1.652,73 pontos. Numa medida já esperada, o Banco da Coreia (BOK, banco central), manteve a taxa básica de juros em 2%, pelo 10º mês seguido. Samsung Electronics subiu 1,3%, Hyundai Heavy Industries ganhou 1,2% e as ações da siderúrgica Posco se valorizaram 2,9%. 

 

(Com Ricardo Criez e Hélio Barboza, da Agência Estado e Agências Internacionais)

 

Texto atualizado com novas informações às 10h40

Tudo o que sabemos sobre:
BolsasEuropaÁsia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.