Bolsas européias recuam com impacto de bancos e petróleo

Barril de petróleo chega perto de US$ 140, sustenta papéis de commodities e reforça temor com inflação

Reuters,

16 de junho de 2008 | 15h47

O principal índice das ações européias fechou em baixa nesta segunda-feira, deprimido por ações de bancos e de produtores de alimentos, ao mesmo tempo em que os novos recordes do petróleo deram sustentação aos papéis de commodities e reacenderam o temor com a inflação. De acordo com os dados, o índice FTSEurofirst 300 caiu 0,43%, para 1.261 pontos.  Os bancos tiveram a pior performance setorial. O Credit Suisse caiu 0,5%, o Deutsche Bank recuou 0,96% e o Santander cedeu 1,6%. O Barclays teve uma das maiores altas do dia, com valorização de 12,6% na máxima do pregão, após anunciar que planeja vender bilhões de libras em ações para novos e atuais acionistas.  O petróleo em novo recorde, perto de US$ 140 por barril mesmo após a Arábia Saudita falar em aumento da produção, pesou sobre o mercado no final da sessão.  "É quase inacreditável. Os sauditas falam que vão aumentar a oferta e mesmo assim o petróleo responde com outra alta. Isso é completamente negativo para tudo, menos o setor de matérias-primas, até onde eu posso ver", disse Roger Cursley, estrategista do Investec.  Em Londres, o índice Financial Times fechou em baixa de 0,14%, a 5.794 pontos. Em Frankfurt, o índice DAX caiu 0,52%, para 6.729 pontos. Em Paris, o índice CAC-40 recuou 0,52%, para 4.657 pontos.  Em Milão, o índice Mibtel encerrou em baixa de 0,18%, a 23.879 pontos. Em Madri, o índice Ibex-35 registrou perda de 1,32%, a 12.826 pontos. Em Lisboa, o índice PSI20 teve oscilação positiva de 0,03%, a 10.158 pontos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.