Bolsas européias reduzem queda acompanhando NY

As altas nos mercados acionários nos Estados Unidos fizeram com que as bolsas européias aliviassem no fechamento dos seus pregões parte das fortes perdas acumuladas durante o dia. A bolsa londrina, que chegou a registrar uma queda superior a 6% no início da tarde, atingindo seu nível mais baixo dos últimos seis anos, fechou em queda de 2,5%. A bolsa de Paris registrou queda de 1,5% e a de Madri, de 2,5%. O mercado acionário europeu viveu hoje um dos seus dias mais nervosos desde os ataques terroristas de 11 de setembro do ano passado contra os Estados Unidos e muitos investidores acreditam que o clima de mêdo vai continuar nos próximos dias. O índice FTSE 100 da bolsa londrina, que fechou hoje em 3.762 pontos, poderá vir a cair a até 2.700 pontos, apostam alguns. Um crescente número de analistas e investidores europeus também prevê que as fortes perdas nos mercados acionários europeus somente vão parar quando houver uma "capitulação" nos Estados Unidos. Essa "capitulação" consistiria numa forte e abrupta queda do índice Dow Jones, de cerca de 400 pontos, que marcaria o ajuste final dos valores dos estoques norte-americanos e abriria espaço para um patamar de maior estabilidade nas bolsas de todo o mundo. Essa maior estabilidade, no entanto, não seria seguida por altas consistentes, mas sim com os valores das ações "andando de lado" por vários meses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.