Bolsas europeias sobem e batem novas máximas no ano

Foco dos investidores está na chegada de 2010, em meio a previsões otimistas de bancos

Nathália Ferreira, da Agência Estado,

29 de dezembro de 2009 | 07h52

As bolsas europeias operam em alta nesta terça-feira, 29, atingindo novas máximas para 2009, uma vez que o sentimento continua positivo antes do Ano Novo, embora a atividade esteja lenta em muitas classes de ativos, com o volume bastante fraco. O foco dos investidores está na chegada de 2010, em meio a previsões otimistas de bancos.

 

"Quando você olha as previsões dos grandes bancos, pode se concluir que 2010 será um ano fácil para o investidor", comentou Ad van Tiggelen, estrategista sênior do ING Investment Management. "Raramente o consenso foi tão forte. 2010 será um bom ano para ações, especialmente o primeiro semestre."

 

A agenda do dia traz os dados de confiança do consumidor e preços de moradias nos EUA, que podem influenciar o comportamento dos mercados.

 

Às 7h36 (de Brasília), a Bolsa de Londres, que voltou apenas nesta terça do feriado de Natal, operava em alta de 0,41%. Paris subia 0,25% e Frankfurt ganhava 0,08%. As máximas do ano atingidas nesta terça foram, respectivamente, 5.441,9 pontos, 3.960,70 pontos e 6.019,48 pontos. Ontem, os índices das bolsas de Nova York também renovaram as máximas de 2009.

 

As ações ligadas a recursos básicos lideram os ganhos nas bolsas, depois que o cobre subiu ontem em Nova York ao maior nível em mais de 15 meses com especulações de que a demanda vai se fortalecer e enxugar os estoques. Hoje, contudo, os metais passam por realização de lucros. No horário acima, o cobre para março na Comex eletrônica caía 0,88%, a US$ 3,3070 a libra peso, enquanto o ouro para fevereiro perdia 0,23%, a US$ 1.105,3 a onça troy.

 

Em Londres, as ações da British Airways operavam em baixa, refletindo o comportamento do setor ontem em Wall Street, depois do incidente no Natal em que um nigeriano ameaçou explodir um avião da Northwest num voo de Amsterdã para Detroit uma hora antes do pouso. Além disso, notícias na mídia relatavam que a companhia aérea britânica está avaliando a possibilidade de abandonar os serviços de primeira classe em diversas rotas.

 

No câmbio, o tom positivo dos investidores beneficia o euro, que opera em alta em relação ao dólar. A queda recente da moeda única europeia também favorece uma correção para cima, disseram analistas da Brown Brothers Harriman. Às 7h37 (de Brasília), o euro subia 0,36%, a US$ 1,4428. O dólar cedia 0,14%, a 91,58 ienes. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
BolsasEuropa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.