Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

Bolsas na Ásia reagem mal após queda em Nova York e caso Nissan

Na China, as bolsas tiveram seu pior dia em novembro, revertendo boa parte dos ganhos da semana passada

Sergio Caldas, O Estado de S.Paulo

20 Novembro 2018 | 09h36

As bolsas asiáticas encerraram o pregão desta terça-feira, 20, com perdas expressivas e generalizadas, seguindo o tom negativo dos mercados acionários de Nova York, que no dia anterior já haviam sofrido quedas de 1,6% a 3%, puxadas principalmente pelo setor de tecnologia. Também pesou nos negócios da Ásia um escândalo envolvendo o executivo brasileiro Carlos Ghosn no Japão.

Na China, as bolsas tiveram seu pior dia em novembro, revertendo boa parte dos ganhos da semana passada. O índice Xangai Composto caiu 2,13%, a 2.645,85 pontos, e o Shenzhen Composto, formado por startups de menor valor de mercado, recuou 2,72%, a 1.378,92 pontos.

Além do fraco desempenho de Wall Street, continuam preocupando as tensões comerciais entre Washington e Pequim. Há esperanças de que os presidentes dos Estados Unidos, Donald Trump, e da China, Xi Jinping, façam algum progresso no âmbito comercial durante encontro que terão às margens da cúpula do G-20 na Argentina, no fim deste mês.

No Japão, o Nikkei apresentou queda de 1,09%, a 21.583,12 pontos. O setor automotivo foi destaque após a Nissan anunciar que pretende demitir Carlos Ghosn da presidência do conselho administrativo da empresa após constatar, numa investigação interna, que ele teria cometido violações financeiras, como fraudar sua declaração de renda. Ghosn, que foi preso ontem em Tóquio, também é presidente e executivo-chefe da aliança entre a francesa Renault e as japonesas Nissan e Mitsubishi Motors.

As ações da Nissan e da Mitsubishi despencaram 5,5% e 6,9%, respectivamente, mas as da Toyota subiram 1,6% com a avaliação de que a empresa tende a ser beneficiada pelas acusações contra Ghosn.

Em outras partes da Ásia, o Hang Seng caiu 2,02% em Hong Kong, a 25.840,34 pontos, enquanto o sul-coreano Kospi recuou 0,86% em Seul, a 2.082,58 pontos, influenciado por peso-pesados de tecnologia como Samsung (-2%) e Hynix (-3,3%), e o Taiex registrou baixa de 0,86% em Taiwan, a 9.743,99 pontos, pressionado por fornecedores de componentes da Apple, que foi um dos principais responsáveis pelo mau humor ontem em Nova York.

Na Oceania, a bolsa australiana terminou a sessão em baixa de 0,38%, com o índice S&P/ASX 200 em 5.671,80 pontos, prejudicada ainda pelo setor de energia, que caiu 1,1%.  / COM  DOW JONES NEWSWIRES

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.