Bolsas na Ásia sobem com China e ainda sob efeito dos EUA

As bolsas de valores da Ásia encerraram em alta nesta segunda-feira, após indicadores econômicos dos Estados Unidos apontarem uma desaceleração das dispensas temporárias de empregados no país na sexta-feira.

KEVIN PLUMBERG, REUTERS

07 de setembro de 2009 | 10h12

Já as ações chinesas estenderam ganhos em meio a expectativas de que Pequim irá tirar mais ferramentas políticas necessárias para sustentar seu volátil mercado acionário.

Investidores também foram motivados por notícias de que os ministros do G20 e os bancos centrais concordaram no fim de semana em manter medidas de estímulos para a economia por um longo período.

Apesar do otimismo,os dados sobre postos de trabalho nos EUA mostraram um salto na taxa de desemprego para o maior patamar em 26 anos.

Analistas observaram também que a forte relação entre ações, commodities e rendimentos elevados que avançaram juntos parece estar perdendo força, sinalizando que alguns desses mercados podem estar sobrevalorizados.

O dólar australiano e os preços de commodities, que geralmente avançam com o bom desempenho do mercado acionário, permaneceram estáveis apesar de ganhos robustos das ações.

O índice Nikkei subiu 1,6 por cento, impulsionado por ganhos nos papéis de tecnologia e amplas exportações.

O indicador MSCI, que reúne as principais bolsas da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão, exibiu variação positiva de 1,2 por cento, chegando perto do maior nível em 11 meses. O setor de tecnologia, que se tornou muito popular nos últimos seis meses, conduziu a alta.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng, que ao contrário da bolsa de Xangai está completamente aberto para investimentos estrangeiros, subiu 1,4 por cento impulsionado por bancos.

As ações negociadas em Sydney avançaram 0,43 por cento.

O mercado acionário de Taiwan registrou alta de 1 por cento enquanto o de Cingapura valorizou-se em 0,81 por cento.

Na contramão, o indicador de Seul exibiu variação negativa de 0,02 por cento.

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAASIAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.