Bolsas na Europa fecham em alta com indicadores positivos

Pedidos de auxílio-desemprego caíram pela primeira vez em novembro no Reino Unido desde fevereiro de 2008

Suzi Katzumata, da Agência Estado,

16 de dezembro de 2009 | 16h29

As principais bolsas europeias fecharam em alta, sustentados pelos indicadores econômicos positivos e indicações de que a maioria dos bancos centrais parecem indispostos a elevar o juro no momento. Na frente indicadores, as medidas de atividade industrial e de serviços subiram para as máximas em vários meses em dezembro, os pedidos de auxílio-desemprego caíram pela primeira vez em novembro no Reino Unido desde fevereiro de 2008 e o índice de inflação ao consumidor da zona do euro voltou para território positivo.

 

A sessão foi quieta, com os participantes à espera da decisão de política monetária do Federal Reserve, aguardada para as 17h15 (de Brasília). "O mercado vai prestar atenção particular ao tom da linguagem do comunicado do Fed em busca de evidências sobre a retirada das medidas de estímulo e possível mudança na taxa (de juro) ao longo dos próximos meses", disse Michael Hewson, trader da CMC Markets.

 

Em Londres, o índice FT-100 subiu 34,49 pontos (0,6%%) e fechou com 5.320,26 pontos; em Paris, o índice CAC-40 avançou 41,73 pontos (1,09%) e fechou com 3.875,82 pontos; em Frankfurt, o índice Dax-30 subiu 92,09 pontos (1,58%) e fechou com 5.903,43 pontos.

 

Juro

 

Nesta manhã, David Miles, um membro do Comitê de Política Monetária do Banco da Inglaterra (BoE), disse em um discurso que a taxa de juro básica no Reino Unido pode ser mantida baixa enquanto os bancos precisarem de mais capital.

 

Enquanto isso, o Riksbank (banco central) da Suécia decidiu manter sua taxa de juro básica inalterada em 0,25% - seu menor nível histórico -, enquanto o Norges Bank (banco central da Noruega) surpreendeu ao elevar sua taxa de juro de referência em 0,25 ponto porcentual para 1,75%.

"Eu penso que devemos ver isto como um sinal positivo de que as coisas estão ficando melhor", disse Iain Galloway, um gestor de fundos da Standard Life, sobre o aperto monetário na Noruega, embora tenha acrescentado que levará algum tempo antes que o Fed e o Banco Central Europeu (BCE) tomem esse rumo.

 

Bancos

 

Os bancos europeus, no geral, subiram em reação a uma reportagem do diário japonês Nikkei que, citando uma fonte, disse o Comitê da Basileia sobre Supervisão Bancária planeja adiar as novas regras de capital para grandes bancos até pelo menos uma década durante um "período de transição". Uma porta-voz do Banco para Compensações Internacionais (BIS, na sigla em inglês) fará um comunicado sobre as novas exigências de capital nos próximos dias.

 

Em Frankfurt, as ações do Commerzbank subiram 6,73% e as do Deutsche Bank avançaram 5,45%. Em Paris, o BNP Paribas subiu 2,62%, o Société Générale avançou 2,61%; em Londres, Barclays +2,62%; em Zurique, Credit Suisse +4,25% e UBS +3,49%.

 

Em outros setores, as ações da Zodiac Aerospace subiram 6,2% depois que o UBS elevou sua recomendação de "neutra" para "comprar", citando uma potencial recuperação de seu mercado e das perspectivas mais brilhantes proporcionadas pelo voo inaugural do Boeing 787. O Zodiac faz o interior do Dreamliner.

 

Um nota da Nomura sobre o setor de mídia teve um grande impacto sobre as ações, com o broker dizendo que as companhias agora oferecem melhor valor por estarem atrás dos outros papeis cíclicos desde a virada do mercado na metade de março. A Nomura disse que prefere as companhias de publicações profissionais, agências e tevê a cabo e por satélite e recomenda evitar as companhia de tevê aberta.

 

As ações da Sky Deutschland subiram 12,9% e as da J.C. Decaux - que a Nomura elevou para "comprar" - fecharam em alta de 5,4%. Por outro lado, BSkyB caiu 0,2% e Vivendi subiu 0,3% - ambas foram rebaixadas de "comprar" para "neutra".

 

Em Milão, o índice FTSE/MIB subiu 272,36 pontos (1,20%) e fechou com 22.889,59 pontos; em Madri, o índice Ibex-35 avançou 127,70 pontos (1,09%) e fechou com 11.863,20 pontos; em Lisboa, o índice PSI-20 subiu 57,14 pontos (0,69%) e fechou com 8.301,98 pontos. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.