Bolsas nos EUA prejudicam mercados brasileiros

O anúncio de empresas nos Estados Unidos revendo para baixo suas expectativas de lucros provocou fortes baixas nas bolsas de Nova York. A Nasdaq - bolsa dos Estados Unidos que negocia papéis do setor de tecnologia e Internet - está em queda de 4,45% e o Índice Dow Jones - que mede a valorização das ações de empresas mais negociadas em Nova York - registra baixa de 2,01%. Resultados mais baixos no lucro das empresas faz com que os investidores também diminuam suas perspectivas de ganhos com as ações. Diante desse cenário, a tendência é que o investidor troque de papéis ou mesmo de investimento, provocando uma queda no valor das ações agora. No Brasil, os mercados financeiros reagem de forma negativa. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera em queda de 1,29%. O dólar comercial está cotado a R$ 2,1240 na ponta de venda dos negócios - estável em relação ao fechamento de ontem. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - pagam juros de 19,080% ao ano, frente a 18,770% ao ano registrados ontem. Em relação à Argentina, permanecem as incertezas em relação à eficiência do pacote de medidas propostas pelo ministro da Economia, Domingo Cavallo. Parte dos poderes especiais do ministro já foram aprovados. Mas alguns, que dariam ao executivo maior liberdade no sentido de cortar gastos e estimular o crescimento econômico, não foram aprovados, o que incerta a tendência para a economia da Argentina.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.