Bolsas operam em leve alta na Europa, após votação nos EUA

Senado dos EUA aprovou pacote de ajuda ao mercado.

Da BBC Brasil, BBC

02 Outubro 2008 | 11h00

As ações européias estão operando em leve alta nesta quinta-feira, após a decisão do Senado americano de aprovar o pacote de resgate de instituições atingidas pela crise financeira. Analistas dizem que os investidores esperam agora que a Câmara dos Representantes - que havia rejeitado uma proposta de pacote no começo da semana - apóiem o novo plano. Às 14h30 (10h30 no horário de Brasília), o principal índice da Bolsa de Londres subia 0,75%, a 4.996,88 pontos. Na Alemanha, o índice DAX aumentava 0,12% (a 5.813,14 pontos), e, na França, o Cac 40 operava em alta de 0,47% (4.073,53 pontos). Na Ásia e nos Estados Unidos, o clima era de cautela. No Japão, a bolsa fechou em queda de 0,9%. Nos Estados Unidos, analistas acreditam que o índice Dow Jones vai abrir em baixa. Reunião européia O gabinete do presidente francês, Nicolas Sarkozy, noticiou que líderes europeus vão se encontrar em Paris no sábado para discutir uma resposta coordenada entre os países à crise. Devem comparecer ao encontro os chefes de Estado da Grã-Bretanha, Gordon Brown, da Alemanha, Angela Merkel, e da Itália, Silvio Berlusconi, além do presidente do Banco Central, Jean-Claude Trichet. Segundo a correspondente da BBC em Paris, Emma-Jane Kirby, a dois dias da reunião, os líderes europeus estão divididos sobre a crise. A França e a Holanda defendem uma ajuda européia aos bancos atingidos pela crise de crédito, enquanto a Alemanha e Luxemburgo acreditam que um plano de resgate não é necessário. Os líderes europeus negaram boatos sobre a criação de um pacote europeu, estimado em 300 bilhões de euros (US$ 418 bilhões), nos moldes do plano que tramita no Congresso americano. "Eu nego tanto a quantia quanto o princípio (de um plano)", disse Sarkozy. Na noite de quarta-feira, o Senado dos Estados Unidos aprovou a versão modificada do plano de US$ 700 bilhões do governo americano para salvar companhias em risco. A aprovação se deu por 74 votos a favor e 25 votos contra. Para facilitar a aprovação nas duas casas legislativas e tentar neutralizar as críticas da opinião pública ao pacote, foram introduzidas mudanças no plano inicial que foi rejeitado pela Câmara na segunda- feira. A principal alteração foi o aumento do limite de depósitos bancários garantidos pelo governo - que passa de US$ 100 mil para US$ 250 mil. Também foram incluídos descontos nos impostos para promover o uso de fontes de energia renováveis por empresas, no total de quase US$ 80 bilhões, e a prorrogação e ampliação de outras reduções nos impostos para pessoas físicas e empresas. Os dois candidatos à sucessão de Bush, os senadores Barack Obama (democrata) e John McCain (republicano), interromperam suas campanhas para votarem a favor do pacote. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.