Evaristo Sá/AFP
Evaristo Sá/AFP

ESG

Coluna Fernanda Camargo: É necessário abrir mão do retorno para fazer investimentos de impacto?

Bolsonaro afirma que foco da Previdência é União: 'se forçar a barra, pode não aprovar nada'

Presidente afirmou que "não acredita em contagem de votos" e que o governo segue conversando com o Congresso

Renata Agostini, O Estado de S.Paulo

14 de junho de 2019 | 13h21

BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira, 14, que o foco do governo é garantir no Congresso a economia para a União com a reforma da Previdência e que, se for possível incluir Estados e municípios no texto, "melhor". Segundo o presidente, se "forçar a barra", há risco de "não se aprovar nada". 

"É natural ceder, mas que seja no limite curto da economia", disse Bolsonaro durante café com jornalistas no Palácio do Planalto, ao qual o Estado foi convidado. Bolsonaro voltou a criticar a postura de governadores, que não têm ajudado a empurrar a reforma no Congresso. "Tem governador que quer aprovar, mas sem voto de suas bancadas", afirmou.

Bolsonaro afirmou que "não acredita em contagem de votos" e que o governo segue conversando com o Congresso. "Nossa base é diferente de antigamente. Vamos pelo convencimento. A bola não está com o Executivo", disse, referindo-se à reforma da Previdência. 

Segundo o presidente, a aprovação do PLN 4, que autorizou crédito suplementar de R$ 248,9 bilhões, mostrou que o Congresso entendeu que se tratava de uma medida para atender à população. 

Ele disse que, no ano que vem, "vai ter buraco também" a cobrir, embora creia que será menor. "O parlamento entendeu que não é um projeto meu, mas dos mais pobres", disse sobre o crédito suplementar. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.