Alan Santos/PR - 24/9/2019
Alan Santos/PR - 24/9/2019

finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Bolsonaro diz que, após conversa com Trump, EUA desistiram de sobretaxar aço brasileiro

Americano publicou no Twitter: 'As relações entre Estados Unidos e Brasil nunca estiveram tão fortes'

Mateus Vargas e Emilly Behnke, O Estado de S.Paulo

20 de dezembro de 2019 | 18h50

BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro afirmou que os Estados Unidos desistiram de sobretaxar o aço e o alumínio brasileiros. Segundo Bolsonaro, ele e o presidente Donald Trump se falaram por telefone nesta sexta, 20.

Bolsonaro deu as informações ao fazer uma transmissão ao vivo em uma rede social acompanhado do ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e do assessor da área internacional da Presidência, Filipe Martins.

No último dia 2, Trump informou que o governo americano iria sobretaxar o aço e o alumínio do Brasil e da Argentina porque os dois países, segundo ele, passaram a desvalorizar as moedas locais em detrimento do dólar.

Na ocasião, Bolsonaro disse que não via a medida como retaliação e que, se fosse necessário, telefonaria para Trump.

"Agora há pouco, então, tive a grata satisfação de receber um telefonema do senhor Donald Trump, presidente dos Estados Unidos. Uma conversa de aproximadamente 15 minutos, no espírito maior da cordialidade e respeito entre dois chefes de Estado", declarou o presidente nesta sexta-feira.

"Entendo o que ele queria, pretendia fazer, e dei os meus argumentos para ele. Ele se convenceu dos meus argumentos e decidiu dizer a nós todos, brasileiros, que nosso aço e nosso alumínio não serão sobretaxados. Repito: não serão sobretaxados", acrescentou.

Pouco depois, Trump publicou a seguinte mensagem uma rede social: "Acabei de ter uma boa conversa com o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro. Nós conversamos sobre muitos assuntos, incluindo comércio. As relações entre Estados Unidos e Brasil nunca estiveram tão fortes."

"Então, a notícia que eu dou a todos no Brasil, é que o aço e alumínio não serão sobretaxados pelo governo americano. E, nós, dessa forma, aprofundaremos mais ainda a nossa relação comercial, bem como a de respeito e admiração entre os nossos povos", acrescentou o presidente da República.

Para Bolsonaro, a balança comercial poderá "crescer muito" nos próximos anos na relação Brasil-Estados Unidos.

Bolsonaro disse ainda que convidou Donald Trump para uma visita ao Brasil. "Ele (Trump) falou que após as eleições do ano que vem seremos um dos primeiros países a serem visitados", disse o presidente brasileiro. Existe ainda a possibilidade de Bolsonaro ir aos Estados Unidos no começo do ano que vem. "Isso só demonstra a confiança no Brasil e nas nossas relações bilaterais que até há pouco não eram levadas a sério", ressaltou.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.