EVARISTO SA/AFP
EVARISTO SA/AFP

Bolsonaro diz que Câmara é soberana para fazer alterações na Previdência

Presidente ponderou, entretanto, que a economia que o governo pretende ter com as mudanças é “importante” e que o Executivo espera que a reforma passe da “forma mais próxima” do que foi encaminhado pelo governo

Amanda Pupo, O Estado de S.Paulo

25 de abril de 2019 | 12h30

BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou nesta quinta-feira, 25, que a Câmara dos Deputados é “soberana” para fazer alterações na proposta de reforma da Previdência “que melhor atendam a necessidades de todos”. 

Bolsonaro ponderou, no entanto, que a economia que o governo pretende ter com as mudanças é “importante”, e que o Executivo espera que a reforma passe da “forma mais próxima” do que foi encaminhado ao Congresso em fevereiro. 

Ele também comemorou a aprovação da proposta pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), terça-feira, 23, destacando o papel de "liderança" do presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM) para que a reforma também prospere na Comissão Especial, instalada nesta quinta. 

"A Câmara é soberana para fazer as alterações que melhor atendam as necessidades de todos, né? Agora, a economia é importante. A gente espera que ela passe da forma mais próxima do que nós encaminhamos para lá”, disse a jornalistas ao ser perguntado sobre mudanças na proposta enviada pelo governo. 

Ele falou com a imprensa após solenidade de assinatura de decreto que acaba com o horário de verão no País. "Eu estou muito feliz com a aprovação da reforma da Previdência na CCJ. Pelo que tudo indica, hoje está sendo formada a comissão especial. A gente espera que, com a liderança em grande parte do Rodrigo Maia, essa proposta prospere também nessa comissão", disse.

Perguntado se estava “confiante” na aprovação da reforma na Câmara dos Deputados ainda no primeiro semestre, o presidente disse “não posso falar isso”, e emendou afirmando esperar que não haja “nenhuma turbulência”. “Se Deus quiser, não haverá. E nós deveremos virar essa página o mais rápido possível da Nova Previdência”, completou o presidente.

Bolsonaro não quis comentar o anúncio feito na manhã desta quinta por Maia, nomeando o deputado Marcelo Ramos (PR-AM) como presidente e o deputado Samuel Moreira (PSDB-SP) como relator da reforma na Comissão Especial.

“Não vou entrar em detalhes. Essa é uma atribuição lá do presidente da Câmara. Todos os deputados têm responsabilidade. Não vou falar todos, né, porque tem a esquerda que está contra a gente, né? Mas o outro lado nós acreditamos na responsabilidade e no espírito patriótico de todos para levar avante essa proposta”, respondeu.

Bolsonaro ainda foi perguntado sobre os ataques do filho, Carlos Bolsonaro, contra o vice-presidente Hamilton Mourão, mas encerrou a entrevista sem responder à imprensa sobre o assunto. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.