Dida Sampaio/ Estadão
Dida Sampaio/ Estadão

coluna

Carolina Bartunek no E-Investidor: 5 tendências prejudiciais para quem investe em ações

Bolsonaro diz que informação sobre taxação de transação eletrônica não chegou a ele

Durante a semana o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que estava avaliando novo imposto; presidente afirmou que 'para ser patrão no Brasil, tem de ser herói'

Mateus Vargas, O Estado de S. Paulo

20 de dezembro de 2019 | 11h31

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta sexta-feira, 20, que não recebeu informações do ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre estudos para criação de imposto sobre transações digitais. Segundo Bolsonaro, a ideia de Guedes é "substituir imposto" e simplificar a "teia" que dificulta a vida do patrão no Brasil.

"Se ele está estudando, não chegou para mim ainda. Ele quer substituir impostos, simplificar essa teia, que é difícil ser patrão no Brasil. Para você ser patrão no Brasil, tem de ser herói", disse.

Guedes descartou na quarta-feira, 18, a volta de um tributo nos moldes da antiga CPMF, mas afirmou que avalia taxar transações digitais, o que pode incluir transferências e pagamentos feitos por meio de aplicativos de bancos, por exemplo. Ele, no entanto, não deu explicações de como seria feita a cobrança.

Bolsonaro voltou a afirmar que é contra cobrança de taxa sobre energia solar. "Se depender de mim, quem quiser botar energia solar em casa é imposto zero", disse, ponderando que a discussão é feita pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

As declarações do presidente foram feitas em frente ao Palácio da Alvorada.

Tudo o que sabemos sobre:
Jair BolsonaroPaulo GuedesCPMFimposto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.