Carolina Antunes/PR
Carolina Antunes/PR

Bolsonaro diz que Selic deve cair para 4,5%

Presidente afirmou que a Caixa vai ganhar mais clientes e aumentar o lucro com redução nos juros

Mateus Vargas, O Estado de S.Paulo

02 de dezembro de 2019 | 11h35

BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro disse nesta segunda-feira, 2, que a taxa básica de juros, a Selic, hoje em 5% ao ano, deve chegar a 4,5%. A declaração de Bolsonaro foi feita antes de evento da Caixa sobre inclusão de pessoas com deficiência (PcD), quando o presidente respondia perguntas da plateia.

"Eu não entendo de economia, não. Aquela que entendia está pagando uma conta altíssima, (no) sistema elétrico, né. Redução na canetada", disse Bolsonaro, em alusão a decisões da ex-presidente Dilma Rousseff que acabaram elevando tarifas de luz.

"Também naquela época, o pessoal reduziu taxa de juros na canetada. Hoje sem canetada está em 5%. Deve chegar a 4,5%", afirmou.

Responsável por definir a taxa, o Comitê de Política Monetária (Copom) se reúne nos próximos dias 10 e 11. O órgão é formado pelo presidente do Banco Central e seus diretores. Bolsonaro não participa das discussões.

Durante o evento da Caixa, o presidente do banco, Pedro Guimarães, disse que o governo deve anunciar redução em taxas de juros do cheque especial e do rotativo, "entre outras", caso a Selic volte a cair.

Segundo Bolsonaro, a redução de juros, como o do cheque especial, faz a Caixa se tornar mais atrativa, ganhar clientes, reduzir a inadimplência e aumentar o lucro. O banco reduzir a taxa mínima do cheque especial de 9,99% para 4,99% ao mês.

No evento, o presidente e a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, abriram uma conta corrente na Caixa. Bolsonaro também recebeu um crachá simbólico de funcionário do banco.

Guimarães afirmou que a Caixa deve estar presente até março de 2020 em todos os municípios do País, seja por meio de agências, lotéricas ou correspondentes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.