Carolina Antunes/PR
Carolina Antunes/PR

coluna

Coluna Dan Kawa: Juro baixo é bom, mas impõe desafio ao investidor

Bolsonaro diz que Selic deve cair para 4,5%

Presidente afirmou que a Caixa vai ganhar mais clientes e aumentar o lucro com redução nos juros

Mateus Vargas, O Estado de S.Paulo

02 de dezembro de 2019 | 11h35

BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro disse nesta segunda-feira, 2, que a taxa básica de juros, a Selic, hoje em 5% ao ano, deve chegar a 4,5%. A declaração de Bolsonaro foi feita antes de evento da Caixa sobre inclusão de pessoas com deficiência (PcD), quando o presidente respondia perguntas da plateia.

"Eu não entendo de economia, não. Aquela que entendia está pagando uma conta altíssima, (no) sistema elétrico, né. Redução na canetada", disse Bolsonaro, em alusão a decisões da ex-presidente Dilma Rousseff que acabaram elevando tarifas de luz.

"Também naquela época, o pessoal reduziu taxa de juros na canetada. Hoje sem canetada está em 5%. Deve chegar a 4,5%", afirmou.

Responsável por definir a taxa, o Comitê de Política Monetária (Copom) se reúne nos próximos dias 10 e 11. O órgão é formado pelo presidente do Banco Central e seus diretores. Bolsonaro não participa das discussões.

Durante o evento da Caixa, o presidente do banco, Pedro Guimarães, disse que o governo deve anunciar redução em taxas de juros do cheque especial e do rotativo, "entre outras", caso a Selic volte a cair.

Segundo Bolsonaro, a redução de juros, como o do cheque especial, faz a Caixa se tornar mais atrativa, ganhar clientes, reduzir a inadimplência e aumentar o lucro. O banco reduzir a taxa mínima do cheque especial de 9,99% para 4,99% ao mês.

No evento, o presidente e a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, abriram uma conta corrente na Caixa. Bolsonaro também recebeu um crachá simbólico de funcionário do banco.

Guimarães afirmou que a Caixa deve estar presente até março de 2020 em todos os municípios do País, seja por meio de agências, lotéricas ou correspondentes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.