Adriano Machado/Reuters
Adriano Machado/Reuters

Bolsonaro fala em rever teto de gastos após as eleições

O chefe do Executivo voltou a criticar a norma fiscal durante entrevista a uma rádio de Mato Grosso

Eduardo Gayer, O Estado de S.Paulo

29 de abril de 2022 | 20h03

BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro disse nesta sexta-feira que pode rever as regras do teto de gastos após as eleições. Em entrevista a uma rádio de Mato Grosso, o chefe do Executivo voltou a criticar a norma fiscal.

"No ano passado, nós tivemos um excesso de arrecadação, de arrecadação a mais, na casa dos R$ 300 bilhões. Você não pode usar um centavo disso na infraestrutura, dada a emenda constitucional do teto lá atrás”, afirmou o presidente.

“Isso daí muita gente discute que tem que ser alterado alguma coisa, a gente vai deixar para o futuro, depois das eleições, discutir essa questão. Poderíamos investir mais, se não tivéssemos esse impedimento constitucional”, acrescentou Bolsonaro.

Aprovado em 2016 durante a gestão do ex-presidente Michel Temer, o teto de gastos limita o crescimento das despesas à inflação e, na época de sua criação, foi considerado a principal âncora fiscal do País. Com a regra, investidores voltaram a crer na sustentabilidade das contas públicas. 

Além de Bolsonaro, os outros dois principais pré-candidatos à presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Ciro Gomes (PDT) também defendem a alteração da regra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.