Estadão
Estadão

Bosch é processada por facilitar fraude da Volks

Criadora do software usado pela VW, empresa é acusada de participar do esquema que burlava testes ambientais

O Estado de S.Paulo

03 Dezembro 2015 | 02h06

A fornecedora de autopeças alemã Bosch foi acusada de conspirar com a Volkswagen para fraudar os padrões de emissões de diesel de ao menos 11 milhões de veículos ao redor do mundo em uma ação coletiva movida no fim da segunda-feira.

A ação movida por um proprietário de veículo a diesel de Nova York na Corte Distrital em Detroit, nos Estados Unidos, cita a Bosch - maior fornecedora de autopeças do mundo - junto com a Volkswagen e seu ex-presidente-executivo Martin Winterkorn e seu presidente nos EUA, Michael Horn.

"O esquema fraudulento da Volkswagen foi facilitado e encorajado pela Bosch, que criou o software utilizado no dispositivo da Volkswagen", diz o processo que acusa as partes de violarem leis civis de extorsão e de fraude do consumidor.

A Bosch fabricava componentes-chave do motor a diesel usado nos seis modelos da Volkswagen e em um modelo da Audi que a montadora admitiu terem sido equipados para fraudar os testes de emissões.

A investigação da Bosch está em seus primeiros estágios e não há indicação de que os promotores americanos tenham encontrado evidências de conduta ilegal da companhia, pessoas familiarizadas com o assunto contaram à Reuters.

Uma porta-voz da Bosch nos EUA se recusou a comentar sobre o processo. A Bosch anteriormente já havia se recusado a comentar a investigação.

Empréstimo. A Volkswagen alcançou um acordo com bancos sobre os termos de empréstimo-ponte de ¤ 20 bilhões para ajudá-la a suportar os custos do escândalo de fraude em testes de emissões de poluentes dos veículos da empresa, disseram três fontes a par do assunto.

A maior montadora de veículos da Europa está sob pressão para fortalecer suas finanças conforme enfrenta custos de vários bilhões de euros em multas, processos judiciais e o conserto de 11 milhões de veículos a diesel.

Treze bancos estão oferecendo porções de crédito de ¤ 1,5 bilhão ou ¤ 2,5 bilhões, afirmaram duas fontes à Reuters. A Volkswagen não comentou.

Mais conteúdo sobre:
O Estado de S. PauloBoschVolks

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.