Boston: Bolsa pode não reagir à queda da Selic

Mesmo com a redução da taxa básica de juros - Selic - em 0,75 ponto porcentual, decidida ontem pelo Comitê de Política Monetária (Copom), a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) pode continuar em baixa hoje. De acordo com Júlio Ziegelmann, diretor de renda variável da BankBoston Asset Management, o mercado de ações no Brasil vai continuar muito mais influenciado pelo desempenho da Nasdaq - bolsa dos Estados Unidos que negocia papéis do setor de tecnologia e Internet - do que pela tendência dos juros. "Caso a bolsa eletrônica continue em forte queda, a Bovespa não vai conseguir reagir", explica.As Bolsas de Nova York apresentaram forte baixa ontem durante todo o dia. A Nasdaq acumulou uma perda de 7,12%, enquanto o índice Dow Jones - que mede a valorização das ações de empresas mais negociadas na Bolsa de Nova York - registrou baixa de 2,51%. "Os números são resultado de um temor de que o banco central norte-americano, o FED, tenha sido muito cauteloso em sua decisão e que deveria ter baixado os juros", declara Ziegelmann.O executivo explica que a expectativa da maioria dos analistas para a reunião do FED, na terça-feira, era apenas de reversão da tendência, o que de fato aconteceu. Porém, segundo Ziegelmann, crescem as preocupações em relação à possibilidade de uma desaceleração forte da economia nos Estados Unidos, o que poderia gerar uma recessão no país. "A queda da Dow Jones é a prova disso, pois é nessa bolsa que se negociam ações de empresas mais tradicionais, muito mais influenciadas pela desaceleração da economia ", diz.As expectativas para o mercado de câmbio e juros hoje, na opinião de Ziegelmann, são de queda das cotações em função da nova Selic. Porém, caso as bolsas de Nova York continuem registrando quedas por mais dias, também esses mercados poderão sofrer com a instabilidade. Para a confirmação do ritmo de desaceleração da economia norte-americana, os analistas estarão atentos hoje à divulgação da estimativa final do PIB no terceiro trimestre e ao número de pedidos de auxílio-desemprego feitos na semana até 16 de dezembro. Bolsas podem ficar em baixa no início de 2001As perspectivas para o mercado de ações norte-americano no início de 2001 não são boas, segundo Ziegelmann. Ele acredita que, aliado ao temor de desaceleração forte da economia do país, o início de janeiro será marcado por anúncios de empresas norte-americanas, que podem sinalizar resultados abaixo do esperado no último trimestre desse ano. Com isso, de acordo com o diretor, a Bovespa também poderá ter um começo de ano ruim para os investidores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.