Bovespa abre em alta com alívio externo

Camargo Corrêa anunciou a compra de 22,17% da cimenteira portuguesa Cimpor, por cerca de 1 bilhão de euros

Olívia Bulla, da, Agência Estado

10 de fevereiro de 2010 | 11h30

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) promete hoje continuar seu avanço, embalada por mais um dia de alta nas Bolsas internacionais. Enquanto esperam uma confirmação de ajuda da Europa à Grécia, os investidores tendem a se voltar ao noticiário corporativo, que traz como destaque o balanço da Vale, apenas no fim do dia. Às 11h11, o índice Bovespa (Ibovespa) subia 0,52%, aos 65.053 pontos.

Hoje cedo, a Camargo Corrêa anunciou a compra de 22,17% da cimenteira portuguesa Cimpor, por cerca de 1 bilhão de euros. Com a operação, o grupo brasileiro tornou-se o maior acionista individual do grupo português, praticamente encerrando a batalha travada há meses com as rivais CSN e Votorantim. A fatia da Camargo Corrêa supera a posição de 17,28% adquirida recentemente pela Votorantim e praticamente dizima a tentativa da CSN de entrar na Cimpor.

A siderúrgica brasileira ainda tem até o próximo dia 17 para convencer os acionistas da companhia portuguesa a vender o controle da empresa, em um oferta total de 3,68 bilhões de euros. Porém, o conselho de administração da Cimpor já recomendou aos acionistas que recusem a oferta.

Segundo analistas do setor, o episódio marca a agressividade das empresas brasileiras, que vêm retomando os movimentos de consolidação. Soma-se a isso a melhora dos negócios desde o fim do ano passado, quando o País já vivia uma fase de franca recuperação.

Esta melhora da atividade pode ser visualizada nos balanços financeiros que estão sendo divulgados. No setor de comunicação, a Vivo apurou um crescimento de 120% no lucro líquido de 2009, para R$ 857,5 milhões, apesar de uma ligeira baixa, de 0,2%, nos ganhos do quarto trimestre do ano passado, para R$ 222,1 milhões, em relação ao mesmo período do ano anterior. Já a NET saiu de prejuízo para lucro de R$ 305,8 milhões nos últimos três meses do ano passado, no padrão IFRS, elevando os ganhos a R$ 735,9 milhões no acumulado de 2009, na mesma base contábil.

O ponto forte da safra de resultados, porém, virá após o fechamento do pregão, quando a Vale anuncia seus números de 2009. As ações das mineradoras têm a seu favor ainda a aposta de um reajuste elevado do minério de ferro nas negociações com a China. O gigante asiático trouxe fortes números de comércio exterior hoje, com um incremento recorde de 85,5% nas importações em janeiro.

No exterior, notícias de que a União Europeia (UE) poderá ajudar a Grécia contagiam positivamente as Bolsas e as commodities (matérias-primas. Amanhã, o Conselho da União Europeia se reúne, em Bruxelas, e deve anunciar um pacote de ajuda à Grécia, em um movimento liderado pela Alemanha, a maior economia do velho continente.

Tudo o que sabemos sobre:
ações, Bovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.