Bovespa abre praticamente estável

Depois do mau-humor de ontem, a Bolsa pode ter hoje um dia de correção dos preços dos ativos, mas no curto prazo a expectativa é de baixa. A Bovespa abriu a 6ªF praticamente estável, com leve baixa de 0,08%. Passado o impacto inicial da enxurrada de notícias negativas, que causaram queda de 3,58% no Ibovespa ontem, os analistas acham que o tamanho da reação foi um pouco exagerada. O comportamento da bolsa vai continuar dependendo do cenário externo e dos desdobramentos da crise política deflagrada com a sucessão nas presidências da Câmara e do Senado. Os negócios devem andar devagar até a divulgação, às 11h, nos EUA, da taxa de desemprego de janeiro. Esse dado pode reforçar o NAPM de ontem, que mostrou que a economia americana já caiu em recessão. O dado de desemprego é um dos indicadores que mais pesam na decisão do Fed na hora de definir taxa de juro. Outro número que será anunciado hoje nos EUA é o de encomendas de bens duráveis às fabricas de dezembro. As notícias vindas de Brasília voltaram a ser acompanhadas com atenção. Segundo um analista, o mercado ontem "acordou" para os fatos políticos. No entanto, a crise entre o PFL e a base aliada do Governo está sendo vista com ressalvas. Muitos operadores não estão levando muito a sério a possibilidade do PFL deixar a base aliada do Governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.