finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Bovespa amplia alta nos últimos minutos e bate recorde

O mercado brasileiro acompanhou WallStreet durante a maior parte do dia nesta terça-feira, masampliou as compras no final da tarde, fazendo a Bolsa deValores de São Paulo fechar em novo recorde. O principal indicador da bolsa paulista avançou 0,5 porcento, para 57.659 pontos, superando o recorde anterior de57.644 pontos, registrado na última sexta-feira, mesmo dia emque atingiu 57.982 pontos durante os negócios. O fechamento preliminar desta terça-feira indicava alta deapenas 0,21 por cento, mas algumas compras registradas após as17h, em especial de Petrobras, ajudaram o Ibovespa a renovarsua máxima. O volume financeiro ficou em 4,5 bilhões de reais, poucoacima da média diária do ano de 4 bilhões de reais. As ações da Petrobras foram as mais negociadas e subiram1,79 por cento. Na máxima do dia o barril do petróleo atingiu omaior nível desde agosto de 2006 em Nova York, mas encerrou emleve baixa. Outro destaque de alta foi Aracruz que exibiu valorizaçãode 2,95 por cento depois que a empresa informou que vaireajustar a tonelada de celulose de eucalipto em 20 dólares emagosto. "A surpresa é boa, eu não estava esperando, acho que omercado também não estava esperando aumento de preço. Acho queo setor já está reagindo bem a isso", disse Marcos PauloFernandes Pereira, analista do setor na corretora Fator. "Suzano é a que mais está subindo muito provavelmenteporque agora no fim desse ano ela entra com capacidade nova ejá vai entrar com preço melhor do que o mercado estavaesperando", complementou. Suzano, que não pertence ao Ibovespa, avançou 3,95 porcento. VCP, que divulgou discreto aumento do lucro esta manhã edisse que também seguirá o aumento, subiu 1,21 por cento. WALL STREET As bolsas norte-americanas foram impulsionadas pelootimismo em relação à temporada de resultados que acaba decomeçar e pela melhora da recomendação para a American Express,fazendo o Dow superar a marca dos 14 mil pontos. O índice, noentanto, perdeu um pouco de força perto do fim do dia,encerrando com ganho de 0,15 por cento, a 13.971 pontos. As notícias corporativas acabaram tendo mais peso que osdados econômicos divulgados esta manhã. Os números de inflaçãono atacado norte-americano vieram mistos, enquanto a produçãoindustrial ficou levemente acima do esperado, reforçando aexpectativa de que o juro norte-americano seja mantido norestante do ano. Entre os balanços que surpreenderam positivamente estiveramo da Merrill Lynch e Novellus .

JULIANA SIQUEIRA, REUTERS

17 de julho de 2007 | 18h14

Tudo o que sabemos sobre:
NEGOCIOSBOVESPAFECHA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.