Bovespa avança com dado de imóveis nos EUA e Grécia

A semana culminou com a Grécia prestes a colocar a mão no socorro financeiro oferecido pela União Europeia (UE) e o Fundo Monetário Internacional (FMI) e com o indicador robusto das vendas de imóveis residenciais novos nos EUA, que cresceram 27% em março. Foram essas duas notícias que conduzir os negócios ontem, abafando o impacto negativo de alguns balanços nos EUA, garantindo ganhos às ações e ao petróleo e enfraquecendo o dólar ante o euro, iene e o real. A notícia de que a Grécia ativou formalmente a ajuda amenizou o risco de um calote da dívida do país, enquanto o dado das vendas norte-americanas trouxe boas perspectivas sobre o ritmo de recuperação da economia. A Bovespa subiu 0,18%, aos 69.509,49 pontos. Na semana, apurou valorização, de 0,12%; no mês, cai 1,22%; mas, no ano, tem ganho de 1,34%.

Cenário: Claudia Violante, O Estado de S.Paulo

24 de abril de 2010 | 00h00

Pesou ainda sobre a Bolsa brasileira a expectativa de aumento da taxa Selic na reunião do Comitê de Política Monetária do Banco Central, na próxima semana, que também vem mobilizando o mercado de juros. As taxas de curto prazo resgataram os prêmios devolvidos nas últimas sessões e subiram, enquanto os juros longos recuaram. A semana pré-Copom terminou com o quadro de apostas para a decisão polarizado entre elevação da Selic de 0,50 ponto porcentual e 0,75 ponto. O juro para janeiro de 2011 avançou a 10,74%; e para janeiro de 2012, a 12,07%.

O dólar à vista recuou 0,11%, a R$ 1,7610, enquanto lá fora o euro subiu ante a moeda norte-americana após a Grécia anunciar pedido oficial de ajuda à UE e FMI.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.