Bovespa bate quarto recorde no ano; dólar sobe de novo

Pela quarta vez no ano, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em pontuação recorde, com 35.952 pontos, em alta de 2,58%. Com esse resultado, a Bolsa passou a acumular valorização de 7,46% em janeiro. O mercado de ações se beneficia do fluxo de capital estrangeiro, que chega ao País atraído pelas perspectivas positivas da economia e pela queda do risco Brasil - taxa que mede a desconfiança do investidor estrangeiro em relação à capacidade de pagamento da dívida do Brasil - , mesmo sendo 2006 um ano de eleições presidenciais.De acordo com informações da Bovespa, até a sexta-feira passada, o saldo de investimento estrangeiro era positivo em R$ 697 milhões. Na segunda-feira, dia 9, teriam entrado mais cerca de R$ 125 milhões, segundo apurou a editora Aline Cury Zampieri.O risco Brasil chegou a cair para 276 pontos base, um recorde para os negócios durante o dia. Às 18h30, no entanto, estava um pouco acima, em 277 pontos, registrando queda de 8 pontos base em relação ao fechamento de ontem. Quanto menor esta taxa, menos juros o governo e as empresas precisam pagar para captar recursos no exterior. O Banco Central voltou a atuar no mercado cambial e, pelo segundo dia consecutivo, a moeda norte-americana fechou em alta - cotada a R$ 2,2840, em alta de 0,93%. No mercado de juros futuros, as taxas continuaram em queda mas com menos força. O quadro das apostas para a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) manteve-se dividido entre corte de 0,50 ponto porcentual e de 0,75 ponto na Selic, a taxa básica de juros da economia, que está em 18% ao ano. A mediana das apostas dos analistas consultados pela Agência Estado está em 0,35%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.