Bovespa cai 1,21% com piora externa, Vale e Petrobrás

Depois de quase retomar os 71 mil pontos na 3ª feira, o Ibovespa por pouco não perdeu o nível de 70 mil pontos ontem. A Bolsa doméstica até abriu em alta, mas não conseguiu segurar os ganhos e terminou em baixa de 1,21%, aos 70.058,08 pontos. Petrobrás e Vale ajudaram a empurrar o índice à vista para baixo, ao também passarem do positivo ao negativo. Indicadores e balanços corporativos pouco animadores nos EUA chamaram ordens de vendas e investidores, inclusive estrangeiros, embolsaram parte dos lucros recentes. Nos EUA, o Departamento de Comércio afirmou que a construção de residências no país caiu 4,3% em dezembro de 2010, para 529 mil - o menor nível em mais de um ano. Economistas esperavam queda de 0,2%. Do lado corporativo, o Goldman Sachs anunciou queda de 52% no lucro no 4º trimestre de 2010, para US$ 2,39 bilhões (US$ 3,79 por ação), ante US$ 4,95 bilhões (US$ 8,20 por ação) no mesmo período de 2009. A American Express informou que cortará cerca de 550 empregos e previu resultados no 4º trimestre de 2010 levemente baixo das estimativas de Wall Street. Em Nova York, o Índice Dow Jones caiu 0,11% e o S&P500 perdeu 1,01%.

Claudia Violante, O Estado de S.Paulo

20 de janeiro de 2011 | 00h00

No mercado de juros, com a aposta de alta da Selic em 0,50 ponto porcentual consolidada há semanas, a expectativa antes do anúncio da decisão era pelo comunicado da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central. Assim, os contratos de curto prazo subiram, enquanto os demais cederam. O juro para fevereiro de 2011 avançou a 11,11%, de 11,06% no ajuste anterior; e para janeiro de 2017 cedeu de 12,34% para 12,29%.

No câmbio, o dólar caiu pelo 3º dia seguido, a R$ 1,6720 (-0,30%)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.