Bovespa cai 3% e perde patamar dos 60 mil pontos

Temores de que a crise no setorimobiliário dos Estados Unidos tenha provocado perdas aindamaiores a grandes instituições financeiras sacudiram osmercados internacionais nesta segunda-feira e levaram a Bolsade Valores de São Paulo à terceira queda consecutiva. O Ibovespa fechou em queda de 3,02 por cento, aos 59.999pontos. O volume negociado na bolsa somou 5,06 bilhões dereais. Desde a última quinta-feira, a perda acumulada pelo índiceé de 7,2 por cento. O medo de que o mercado de hipotecas norte-americano dealto risco (subprime) tenha causado prejuízos ainda nãoprevistos mostrou-se justificado nesta segunda-feira, em meio auma série de novidades ruins do setor. O Citigroup estimou que o subprime vai causar baixasadicionais de cerca 9 bilhões de dólares a bancos deinvestimentos só no primeiro trimestre deste ano. O gigante deprivate equity Blackstone foi outro a admitir que o ramoimobiliário lhe rendeu prejuízos no final de 2007. Não bastasse isso, rumores de que o banco Bear Stearnsestaria enfrentando problemas de liquidez acrescentou umprincípio de pânico aos negócios. O banco apressou-se emdesmentir os comentários. Para Marco Antonio Gazel, sócio da M2 Investimentos, todoesse cenário está levando os investidores a perder parte daesperança de que o mercado doméstico de ações possa sedescolar, pelo menos em parte, dos efeitos da crise nos EstadosUnidos. "O descolamento está perdendo força", disse. No ano, o índice Dow Jones acumula baixa de 11%, enquanto oIbovespa perdeu 6,1%. Uma evidência desse movimento, segundo ele, é o recuo deações de empresas nacionais que vinham resistindo ao mau humorexterno, devido aos preços ainda altos das commodities. Foi o caso das ações preferenciais da Usiminas, que caíram5,03 por cento, a 95,25 reais. As ações preferenciais da Vale recuaram 3,94 por cento,para 46,06 reais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.