finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Bovespa cai 4,54% com Petrobrás

Investidor reforçou oferta de ações da petrolífera após informações de que a empresa vai postergar projetos

Claudia Violante, Silvana Rocha e Denise Abarca, O Estadao de S.Paulo

19 de novembro de 2008 | 00h00

Preocupações com o crescimento global, por causa da crise financeira que se espalha pelo planeta, permaneceram no horizonte do mercado financeiro nesta terça-feira, mantendo elevado o grau de aversão a risco no ambiente internacional. No noticiário ontem, reforçaram esses temores a terceira queda consecutiva e também recorde do índice de preços ao produtor dos EUA (PPI) em outubro ante setembro por causa da retração no consumo, o recuo na importação de petróleo em setembro nos EUA ao menor nível desde fevereiro de 2000 e o declínio do índice de confiança das construtoras de casas dos EUA para novo nível recorde de baixa. Em Wall Street, os investidores contrabalançaram essas informações com notícias corporativas favoráveis e os índices oscilaram entre altas e baixas. A Bovespa ampliou as perdas à tarde, após informações de que a Petrobrás está decidida a postergar projetos e priorizar apenas os que tenham retorno rápido. O Ibovespa caiu 4,54% (34.094,66 pontos). O dólar subiu 2,11%, a R$ 2,325, apesar dos leilões do Banco Central e do fluxo cambial positivo. O juro de janeiro 2010 recuou a 14,84% com o arrefecimento da inflação.FRASEMarcelo CarvalhoEconomista-chefe do Morgan Stanley, ao AE Broadcast Ao Vivo"Pela 1ª vez em décadas, recessão é sincronizada no mundo. Brasil corre risco de entrar em recessão no 1º trimestre de 2009"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.