Bovespa cai com mau humor externo, em sessão de giro fraco

A sexta-feira espremida entre o feriado nacional de Corpus Christi e o final de semana teve um volume financeiro menor nos mercados, como era de se esperar. Com parte dos investidores afastada das mesas, os ativos tiveram um pregão mais fraco, mas nem por isso menos tenso. A notícia de que a agência de classificação de risco Moody''s colocou em revisão para possível rebaixamento o rating de um grupo de bancos italianos adicionou instabilidade ao mercado. Os investidores até deixaram de lado a boa recepção com o anúncio de que o primeiro-ministro grego, George Papandreou, fechou um novo acordo com a União Europeia e o FMI para a liberação de outros ? 110 bilhões para ajudar a solucionar a crise da dívida do país e as bolsas caíram. Também pesou sobre os negócios o anúncio da liberação de estoques de petróleo das reservas estratégicas pela Agência Internacional de Energia (AIE). Em Wall Street, o Dow Jones perdeu 0,96%, aos 11.934,58 pontos, e o S&P 500 recuou 1,17%, aos 1.268,45 pontos. A Bovespa recuou 0,29%, para 61.016,72 pontos, pressionada pela queda de Petrobras. A ação ON recuou 1,98% e a PN, 1,68%. Vale e OGX subiram e ajudaram a conter a queda do principal índice à vista.

Claudia Violante, O Estado de S.Paulo

25 de junho de 2011 | 00h00

No mercado de câmbio, o medo de contágio na Europa manteve o dólar à vista valorizado ante o real, e a moeda norte-americana subiu 0,94%, cotada a R$ 1,6040.

Os contratos futuros de juros recuaram nas taxas de médio e longo prazo, também ajustando-se a exterior. A taxa do DI com vencimento em janeiro de 2012 recuou a 12,41%, de 12,43% na quarta-feira, e o DI janeiro 2013 cedeu para 12,51%, de 12,56%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.