Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Bovespa cai e dólar bate R$ 1,75 com temores sobre Dubai

Principal índice da Europa registra maior baixa em sete meses com preocupações sobre dívida do emirado

estadao.com.br,

26 de novembro de 2009 | 15h21

O risco de default do conglomerado estatal Dubai World, a ex-joia da coroa da economia de Dubai, abateu os ânimos dos investidores nesta quinta-feira, quando o mercado norte-americano está fechado pelo feriado de Ação de Graças. Um dia depois de o grupo pedir uma "paralisação" de seis meses no pagamento de sua dívida de US$ 60 bilhões, os mercados parecem estar se dando conta de que a crise global não pode ser vista como encerrada e fazem as contas do que significa esse novo problema. Às 15h26 (de Brasília), a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) aprofundava a queda para 2,29%, aos 66.361 pontos. No mesmo horário, o dólar subia 1,68%, cotado na máxima de R$ 1,75, também pressionado pelo setor externo.

 

O principal índice das bolsas europeias teve a maior baixa porcentual diária em sete meses nesta quinta, com as preocupações sobre a dívida em Dubai pesando especialmente as ações dos bancos. O índice das principais ações europeias FTSEurofirst 300 fechou em baixa de 3,21%, a 989,14 pontos - menor nível de fechamento em três semanas.

 

"É um dia em que a incerteza do mercado foi provocada novamente. Eu não acho que isso realmente reflita os fundamentos da economia e do mercado, é só um choque de confiança", disse Peter Dixon, economista do Commerzbank, referindo-se ao feriado de Ação de Graças nos Estados Unidos.

 

Os bancos foram responsáveis pela maior parte da queda do índice com a preocupação sobre a sua potencial exposição aos problemas com a dívida em Dubai. As ações do HSBC, Banco Santander, BNP Paribas, Barclays e Credit Suisse tiveram queda de 3,26% a 7,97%.

 

Em Londres, o índice Financial Times fechou em baixa de 3,18%, a 5.194 pontos. Em Frankfurt, o índice DAX caiu 3,25%, para 5.614 pontos.  Em Paris, o índice CAC-40 perdeu 3,41%, para 3.679 pontos.  Em Milão, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 3,6%, para 21.922 pontos.  Em Madri, o índice Ibex-35 retrocedeu 2,58%, para 11.657 pontos.  Em Lisboa, o índice PSI20 encerrou em queda de 2,1%, para 8.287 pontos.

 

Já na Ásia, a bolsa de Xangai caiu 3,5%, abalada por preocupações sobre levantamento de capital em bancos. No Japão, o índice Nikkei cedeu 0,62%, influenciado pela preocupação com a valorização da moeda japonesa, que na véspera registrou sua maior cotação em relação ao dólar em 14 anos.

 

(Com Agência Estado e Reuters)

Tudo o que sabemos sobre:
BovespadólarDubai

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.