Bovespa cai e passa a acumular queda em dezembro

Bolsa recuou 0,41%, depois de já ter sofrido forte baixa de 2,27% no pregão anterior

Claudia Violante, da Agência Estado,

18 de dezembro de 2009 | 18h43

Os inúmeros vencimentos nas Bolsas de Valores ao redor do globo trouxeram volatilidade às ações nesta sexta-feira. A Bovespa sofreu com esse movimento e, mesmo tendo despencado 2,27% ontem, manteve a trajetória de baixa na sessão de hoje, perdendo o nível de 67 mil pontos. Além de esta ser a última semana cheia do ano, o que motiva muitos investidores que só voltarão em 2010 a embolsarem ganhos acumulados, também o vencimento de opções sobre ações na segunda-feira contribuiu para o movimento por aqui.

 

A Bovespa terminou o dia em baixa de 0,41%, aos 66.794,21 pontos. Na mínima, registrou 66.322 pontos (-1,11%) e, na máxima, os 67.281 pontos (+0,32%). Na semana, caiu 3,57%. No mês, passou a acumular perdas pela primeira vez em dezembro, de 0,37%, mas, no ano, sobe 77,88%. O giro financeiro totalizou R$ 6,463 bilhões. Os dados são preliminares.

 

Nos Estados Unidos, houve hoje o quadruple witching - vencimento de futuros de índices, futuros de ações, opções sobre índice e opções sobre ações -, enquanto, na Europa, houve o triple witching - vencimento simultâneo de futuros de índice, opções sobre ações e opções sobre índice. Esses exercícios e o fato de a agenda desta sexta-feira ter sido esvaziada contribuíram para as sessões voláteis e essencialmente negativas desta sexta-feira. Ainda mais depois de uma semana carregada de eventos - muitos deles ruins, como o rebaixamento da Grécia - e o início da temporada das festas de final de ano na próxima semana.

 

Em Nova York, no entanto, não foram todas as Bolsas que penderam predominantemente para o negativo hoje. O setor de tecnologia foi destaque de alta em razão dos resultados melhores do que os esperados anunciados ontem pela Research In Motion (RIM), fabricante do Blackberry, e pela Oracle.

 

Às 18h28, o Dow Jones caía 0,10%, o S&P subia, 0,29%, e o Nasdaq, avançava 1,02%.

No Brasil, além dos vencimentos e das festas, também pressionou as vendas de ações a alta do dólar no exterior, que motiva muitos investidores a trocar de ativos. Esse movimento também deve pressionar as commodities em 2010, quando as cotações devem passar por uma correção justamente para corrigir as distorções provocadas pela desvalorização do dólar.

 

Enxugado o excesso de liquidez dos mercados, o poder de compra da moeda americana pode voltar a crescer, pressionando para baixo o valor de commodities como petróleo e produtos agrícolas, cotados em dólar. Por outro lado, se espera um aumento da demanda desses produtos por causa da recuperação da economia. (ver nota às 13h38).

Na Nymex, o contrato do petróleo para janeiro subiu 0,98%, a US$ 73,36 o barril. Petrobras ON, -0,17%, Petrobras PN, -0,79%. A diretora de Gás e Energia da estatal, Graça Foster, disse hoje que a companhia não vai repassar para o consumidor o pagamento extra pelos componentes associados ao gás natural importado da Bolívia.

 

OGX ON terminou em +3,61%. A empresa anunciou a identificação de hidrocarbonetos na seção albiana do poço OGX-3 (1-OGX-3-RJS), localizado no bloco BM-C-41, em águas rasas da parte sul da Bacia de Campos.

 

As ações das siderúrgicas caíram, com destaque para CSN ON, que despencou 5,46%. Os papéis reagiram à oferta de 3,86 bilhões de euros (cerca de US$ 5,55 bilhões) pela companhia de cimentos portuguesa Cimentos de Portugal.

 

Gerdau recuou 0,11%, Metalúrgica Gerdau PN, 0,44%, e Usiminas PNA, 2,15%. Vale ON, -0,23% e Vale PNA fechou estável.

 

As maiores altas do Ibovespa hoje foram Cesp PNB (+3,55%), JBS (+3,24%) e All unit (+3,23%). As maiores quedas foram CSN ON (-5,46%), Celesc PNB (-4,10%, Gol PN (-4,05%).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.