Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Bovespa cai e recua ao menor patamar desde setembro de 2007

No dia, a queda foi de 1,69%. No acumulado do ano, a Bolsa acumula perda de 16,53% e em agosto, 10,38%

Claudia Violante, da Agência Estado,

18 de agosto de 2008 | 17h45

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) repete a tendência da semana passada e fechou em queda de 1,69%. As perdas, pelo oitavo pregão de um total de 12 em agosto, fizeram a Bovespa retroceder quase um ano e chegou ao menor nível desde os 52.652,6 pontos de 10 de setembro de 2007. No acumulado do ano, a Bolsa acumula perda de 16,53% e em agosto, 10,38%. Veja também:Com mau humor de bolsas, dólar zera queda no fechamento O índice oscilou hoje entre 53.050 pontos (-2,20%) e 54.928 pontos (+1,26%). O giro financeiro foi fraco apesar do vencimento de opções sobre ações (operação no mercado futuro) e totalizou R$ 4,524 bilhões (preliminar). Desse total, R$ 794,911 milhões referiram-se ao exercício, que se configurou como o quarto menor do ano. Wall Street também teve perdas firmes: Dow Jones registrou baixa de 1,55%, aos 11.479,2 pontos, S&P caiu 1,51%, aos 1.278,60 pontos, e o Nasdaq, -1,45%, aos 2.416,98 pontos. O setor financeiro voltou ao foco das preocupações, com os investidores se desfazendo principalmente dos papéis das agências hipotecárias Freddie Mac e Fannie Mae. Esses papéis abriram pressionados com notícia veiculada na revista Barron's dando conta da possibilidade de o Tesouro recapitalizar as agências, o que faria com que as participações dos atuais acionistas perdessem totalmente o valor. À tarde, as perdas foram ampliadas com a decisão do Merrill Lynch rebaixar o preço-alvo das ações. Mas o setor financeiro, de modo geral, caiu também porque o Wall Street Journal informou que o Lehman Brothers poderá perder US$ 1,8 bilhão no trimestre, ainda por causa do subprime (crise no setor imobiliário americano), e porque o UBS reduziu suas perspectivas para Goldman Sachs, JPMorgan, Citigroup e Morgan Stanley.  O petróleo em baixa, hoje, não serviu para ajudar Nova York, apenas para afetar negativamente Petrobras. Na Nymex (bolsa eletrônica dos Estados Unidos), o contrato para setembro recuou 0,79%, aos US$ 112,87. As ações ordinárias (ON, com direito a voto) da Petrobras perdeu 2,87% e as preferênciais (PN, sem direito a voto), 3,03%. As ordinárias da Vale caíram 2,22% e 2,24% a PNA, apesar de o setor ter boas notícias. Hoje, a BHP Billiton anunciou lucro recorde e a Rio Tinto fechou acordo com a estatal indiana NMDC para a criação de uma joint venture que irá procurar e explorar minério de ferro e outros minerais no mundo.  A queda na Bovespa foi generalizada, poupando apenas 14 das 66 ações que compõem o índice das ações mais negociadas na Bolsa - Ibovespa. A maior queda do índice foi registrada por Rossi Residencial ON (-5,86%) e maior alta, por Cesp PNB (+3,26%).  Segundo um profissional do mercado, apesar de a Bovespa estar em níveis muito atrativos, não está havendo ingresso de recursos novos na ponta compradora. Como a agenda está morna nos próximos dias, o comportamento de hoje pode se repetir, apesar do nível baixo em que se encontra o Ibovespa.

Tudo o que sabemos sobre:
Mercado financeiroBovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.