Bovespa deve abrir em queda, na contramão da alta em NY

Nem a criação de mais postos de trabalho nos EUA em junho conseguiu tirar o Ibovespa futuro do terreno negativo

Olivia Bulla, da Agência Estado,

05 de julho de 2013 | 11h36

A criação de mais postos de trabalho nos Estados Unidos do que o esperado em junho não foi capaz de demover o índice Bovespa futuro do terreno negativo, na contramão da melhora engatada entre os índices acionários em Nova York. Os negócios locais também estão atentos às repercussões dos indicadores domésticos de inflação anunciados na manhã desta sexta-feira, 05, nos mercados de câmbio e de juros futuros. Às 9h52, o Ibovespa futuro caía 1,34%, aos 45.010 pontos.

A economia norte-americana abriu 195 mil vagas de emprego em junho, acima da previsão de 160 mil novos postos de trabalho. Além disso, o número de criação de vagas em maio foi revisado para cima, a 195 mil, de 175 mil na leitura original. Mesmo assim, a taxa de desemprego nos EUA ficou estável em 7,6% em junho ante maio, contrariando a expectativa de queda a 7,5%.

No horário acima, em Wall Street, o futuro do S&P 500 subia 1,17%, neste pregão de emenda de feriado por lá. Já na Europa, as principais bolsas europeias mantêm um ligeiro viés de baixa, sendo que a Bolsa de Londres destoa-se e sobe 0,74%, embalada pelas sinalizações de afrouxamento monetário no Reino Unido.

Internamente, os investidores também digerem a desaceleração da inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), para 0,26% em junho de 0,37% em maio. O resultado ficou abaixo do piso do intervalo das estimativas coletadas pelo AE Projeções, entre 0,29% e 0,38% (mediana de 0,33%). Porém, a taxa acumulada em 12 meses, de 6,70%, supera o teto da meta para a inflação oficial estipulada pelo governo e é a maior desde outubro de 2011.

Mais cedo, a inflação medida pelo IGP-DI ficou em 0,76% no mês passado, de +0,32% no mês anterior, ficando dentro do intervalo previsto. No mercado de câmbio, o dólar à vista teve uma abertura volátil, em queda, mas já exibe ganhos, ao passo que os contratos de depósito interfinanceiros (DIs) saíram das mínimas e estão nas taxas máximas da sessão, porém ainda em queda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.