Bovespa dispara 3,16% e recupera os 62 mil pontos

As Bolsas europeias, norte-americanas e a brasileira apuraram fortes altas ontem, enquanto o preço do petróleo saltou 4,25% em Nova York, para o maior nível em duas semanas. Os ganhos foram amparados pelas declarações da China negando que estivesse revendo seus investimentos em ativos europeus e demonstrando apoio à União Europeia, além das novas medidas de ajuste fiscal na Espanha. O Ibovespa pulou do patamar de 60 mil pontos para os 62.091,77 pontos, ao subir 3,16%. O desempenho reduziu as perdas acumuladas em maio para 8,05%. Em 2010, a bolsa recua 9,47%. Os destaques na sessão foram as ações da Vale, que tem a China como um dos principais destinos de produção de minério de ferro, e as da Petrobrás na esteira do petróleo. Vale ON avançou 6,31%, a R$ 49,40, e a PNA, 6,29%, a R$ 42,10. Petrobrás ON subiu 3,19%, a R$ 32,04, e a PN, +2,81%, a R$ 27,81.

Cenário: Claudia Violante, O Estado de S.Paulo

28 de maio de 2010 | 00h00

Nos EUA, o Índice Dow Jones ganhou 2,85% e o Nasdaq, 3,73%.

O otimismo externo fomentou o aumento dos juros futuros. Do lado interno, também ajudou a queda da taxa de desemprego no País para 7,3% em abril, a menor para meses de abril desde o início da série histórica iniciada em 2002. O juro para janeiro de 2011 avançou a 11,01% e para janeiro de 2012, a 12,13%.

O apetite ao risco também fortaleceu o euro e o real. Aqui, o dólar recuou 1,62%, para R$ 1,8260 no balcão. Em Nova York, o euro ganhou mais de 1,2% em relação ao dólar, após ter encostado na mínima de quatro anos durante a madrugada. No final da tarde de ontem, o euro estava a US$ 1,2356, de US$ 1,2193 no final da tarde de quarta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.