Bovespa dispersa perdas pós-quebra do Lehman Brothers

A escalada das commodities, num dia farto de indicadores da economia dos Estados Unidos, intensificou a entrada de recursos estrangeiros na Bovespa, que fechou no melhor nível em oito meses.

ALUÍSIO ALVES, REUTERS

28 de maio de 2009 | 18h26

Apoiada principalmente por papéis de companhias ligadas a matérias-primas, o Ibovespa subiu 2,41 por cento nesta quinta-feira, para 53.040 pontos.

Com isso, o indicador voltou aos níveis de meados de setembro, quando os mercados começaram a se deteriorar após o colapso do Lehman Brothers.

O volume financeiro da sessão totalizou 4,87 bilhões de reais.

Para analistas, os investidores mais uma vez preferiram se concentrar na parte positiva do noticiário --principalmente nas dos EUA, onde o efeito da expansão dos pedidos de bens duráveis se sobrepôs à divulgação de que as vendas de moradias subiram menos que o esperado em abril.

Na Bolsa de Valores de Nova York, o índice Dow Jones subiu 1,25 por cento, fortalecido sobretudo por ações de empresas ligadas a energia, depois que um dado mostrando queda nos estoques norte-americanos de petróleo levantou a cotação da commodity para cima dos 64 dólares o barril.

"A alta das commodities foi melhor ainda para a Bovespa", disse Pedro Galdi, analista da corretora SLW, mencionando também companhias ligadas a metais.

Em destaque, Gerdau ganhou 5,26 por cento, para 20,40 reais, com os investidores ignorando a opinião do Citrigroup, que reduziu a recomendação dos papéis da companhia de "comprar" para "manter".

O mesmo se deu com Usiminas, que subiu 3,7 por cento, a 37,15 reais, após ter caído no conceito do Citi.

O mesmo movimento do petróleo que deu força a Wall Street conduziu a ação preferencial da Petrobras a um ganho de 2,7 por cento, a 34,65 reais.

No plano doméstico, a deflação de 0,07 por cento medida pelo IGP-M em maio intensificou as apostas de mais cortes na Selic, dando força a ações de empresas ligadas ao varejo.

B2W, controladora da varejista eletrônica Submarino e Lojas Americanas, foi a melhor do índice, subindo 6,5 por cento, a 39,95 reais.

Tudo o que sabemos sobre:
BOVESPAFECHAFINAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.