Bovespa encerra em alta de 0,79%; dólar cai

Após operar em baixa durante a primeira hora de negócios, a Bolsa de Valores de São Paulo conseguiu reverter o sinal dando prosseguimento à recuperação ensaiada no final da tarde de quarta-feira. O Ibovespa, principal índice, encerrou com valorização de 0,79%, aos 42.670 pontos.Na máxima, o índice subiu 1,87%, superando novamente os 43 mil pontos. A melhora do mercado foi impulsionada pela alta das bolsas norte-americanas e, a princípio, também pela reação dos preços do petróleo. À tarde, contudo, o petróleo voltou a registrar fortes perdas, fechando em baixa de 3,96% em Nova York. Mas nesta quinta-feira isso não prejudicou tanto a Petrobras, cuja ação preferencial recuou apenas 0,09%.Nos EUA, além da queda recente dos preços do petróleo, que ajuda a reduzir as pressões inflacionárias e favorece o consumo, os investidores estão comprando ações diante da expectativa positiva com a temporada de balanços do quarto trimestre, aberta na terça-feira pela Alcoa. Os investidores também gostaram dos dados sobre mercado de trabalho divulgados nesta quinta. O número de pedidos de auxílio-desemprego feitos na última semana caiu 26 mil, ante estimativa de queda de 9 mil solicitações.Às 18h25, o índice Dow Jones subia 0,56% e o Nasdaq avançava 0,78%.DólarO dólar fechou nesta quinta pelo segundo dia consecutivo em baixa. No pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), o dólar à vista terminou cotado a R$ 2,1447, com recuo de 0,18%. No mercado interbancário, o dólar comercial perdeu 0,19% e terminou o dia a R$ 2,145.A moeda norte-americana começou a quinta-feira em alta, pressionada pela surpresa nos mercados com a decisão do Comitê de Política Monetária do Banco da Inglaterra (BoE) que subiu o juro básico do país em 0,25 pontos porcentuais, de 5% para 5,25% ao ano, além da volatilidade nos preços do petróleo. Depois, o dólar recuou com os dados da economia norte-americana.Os dados do auxílio-desemprego norte-americano reforçaram a perspectiva de juro estável nos EUA e ajudaram a aliviar a pressão sobre o dólar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.