Bovespa encerra em alta de 0,9%, empurrada por Petrobrás, Vale e OGX

Valorização foi maior ao longo do dia, mas Ibovespa reduziu ritmo após divulgação de ata do FED 

Claudia Violante, da Agência Estado,

10 de julho de 2013 | 17h44

A Bovespa operou ao longo desta quarta-feira, 10, em alta. À tarde, entretanto, após a divulgação da ata do último encontro do Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano), a valorização desacelerou e o índice fechou com ganhos mais modestos. As blue chips Petrobrás e Vale, e também OGX, sustentaram a elevação do dia.

O Ibovespa terminou com avanço de 0,90%, aos 45.483,43 pontos. Na mínima, registrou 45.082 pontos (+0,01%) e, na máxima, 45.955 pontos (+1,95%). No mês, acumula perda de 4,16% e, no ano, de 25,38%. O giro financeiro totalizou R$ 5,436 bilhões. Os dados são preliminares.

Segundo profissionais de renda variável, a Bovespa passou por uma correção, sobretudo na primeira etapa do pregão, uma vez que não funcionou na véspera e, nos Estados Unidos, as Bolsas subiram, assim como ADRs de empresas brasileiras.

À tarde, sobretudo depois do documento do Fed, o investidor considerou melhor aguardar o resultado do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, que nesta noite anuncia a nova Selic, taxa referencial do juro no País. E também ouvir o que o presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, tem para falar.

No meio da tarde, a ata do Fed veio em linha com o que esperava o mercado. No instante em que saiu, acabou garantindo uma melhora das Bolsas, mas o efeito foi temporário e o Dow Jones fechou com ligeira baixa, de 0,06%, aos 15.291,66 pontos. O S&P subiu 0,02%, aos 1.652,62 pontos, e o Nasdaq terminou com elevação de 0,47%, aos 3.520,76 pontos.

O Fed sinalizou que deve diminuir a política de compra de bônus e isso deve ocorrer no curto prazo. Para isso, entretanto, os indicadores econômicos serão observados de perto, sobretudo os referentes ao mercado de trabalho dos EUS.

Internamente, a alta do petróleo no exterior ajudou a dar sustentação aos ganhos da Petrobrás. Na Nymex, o contrato para agosto subiu 2,89%, a US$ 106,52 o barril, maior nível desde fim de março de 2012. Petrobrás ON teve alta de 1,85% e a PN, valorização de 1,54%. OGX saltou 13,46%, Vale ON ganhou 2,04% e PNA avançou 1,38%.

Tudo o que sabemos sobre:
Bovespafechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.