Bovespa encerra março com alta de 4,36%

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em alta nesta sexta-feira, acompanhando a oscilação nos mercados externos diante de dados diversos dos Estados Unidos e preocupações geopolíticas. O Ibovespa - índice que mede o desempenho das ações mais negociadas na Bolsa - terminou com valorização de 0,99%, aos 45.804 pontos. O giro financeiro do dia ficou em R$ 4,3 bilhões. No mês, a Bolsa acumulou uma alta de 4,36%. Entre os diversos dados dos EUA divulgados nesta manhã, o aumento acima do esperado no núcleo do índice de preços de gastos com consumo, PCE, deve reforçar a atenção do Federal Reserve (banco central dos Estados Unidos ) com a inflação, enquanto uma expansão mais forte que o previsto na atividade do Meio-Oeste norte-americano aliviou os temores sobre uma possível recessão no país. Outros fatores que trouxeram volatilidade para os mercados foram o noticiário geopolítico, em meio à tensão entre Irã e Grã-Bretanha, e a decisão dos Estados Unidos de impor tarifas sobre importações de papel revestido da China. Depois de oscilarem entre alta e baixa, as ações norte-americanas fecharam com ligeiro ganho no dia. O índice Dow Jones - que mede o desempenho das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - fechou em leve alta de 0,04%. A Nasdaq - bolsa que negocia ações do setor de tecnologia e internet - subiu 0,16%.O risco Brasil - taxa que mede a desconfiança do investidor estrangeiro na capacidade de pagamento da dívida do país - recuou ainda mais e bateu novo recorde de mínima, em 167 pontos base. Isso significa que o Brasil paga um prêmio de 1,67 ponto acima dos títulos norte-americanos, considerados sem risco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.