Bovespa fecha em alta de 0,76% e tem o maior nível desde novembro

Ajudada pela aposta dos estrangeiros nas ações da Petrobrás, a Bolsa paulista conseguiu romper o patamar de 54 mil pontos

Claudia Violante, O Estado de S. Paulo

10 Abril 2015 | 17h26

A Bovespa enfim conseguiu romper o patamar de 54 mil pontos, renovando seu maior nível desde o final de novembro passado. Mais uma vez, subiu impulsionada por ganhos robustos de Petrobrás, que segue como preferida do investidor estrangeiro. O índice se firmou em alta no período vespertino, renovou as máximas e se sustentou no novo patamar, ajudado ainda pela valorização dos bancos nesta sessão. 

O Ibovespa terminou o dia em alta de 0,76%, aos 54.214,11 pontos, renovando o maior nível desde 28 de novembro de 2014 (54.664,36 pontos). Na mínima, marcou 53.556 pontos (-0,46%) e, na máxima, 54.413 pontos (+1,14%). Na semana, pela segunda vez consecutiva, acumulou ganhos, de 2,05%. No mês, têm valorização de 5,99% e, no ano, de 8,41%. O giro financeiro totalizou R$ 6,334 bilhões. 

A principal razão para a alta, segundo os profissionais, segue com o fluxo firme de ingresso de capital estrangeiro na Bovespa. Petrobrás tem sido uma das principais escolhas, com o mercado crente que a empresa cumprirá o prazo para divulgação de seus números dos terceiro e quarto trimestres de 2014. 

A trégua na crise política também permite ao investidor olhar a Bovespa com uma visão mais aguçada, e como as ações estão baratas, ainda mais com esse dólar (que hoje fechou a R$ 3,087), o fluxo encontra um caminho natural para cá. 

O setor financeiro hoje contribui com a alta do índice. Bradesco PN, +1,07%, Itaú Unibanco PN, 0,73%, BB ON, 3,58%, e Santander unit, 2,95%. 

Mas foi Petrobrás que continuou a despontar no mercado. A ação ON terminou em +2,51% e a PN, em +2,25%. Na semana, subiram, respectivamente, 11,60% e 10,26%, e acumulam, em abril, alta de 23,49% e 21,48%, na mesma ordem. Desde o piso do ano, registrado em 30 de janeiro, as ações já superam 40% de ganhos (a ON subiu 47,14% e a PN, 44,50% até hoje).

Vale terminou nas mínimas, em baixa de 2,02% na ON e de 1,48% na PNA, em mais um dia de recuo do preço do minério no exterior. 

Nos EUA, as bolsas terminaram em alta e influenciaram o desempenho da Bovespa. O Dow Jones teve ganho de 0,55%, aos 18.057,65 pontos, S&P 500 avançou 0,52%, aos 2.102,06 pontos, e o Nasdaq registrou valorização de 0,43%, aos 4.995,98 pontos. 

Mais conteúdo sobre:
bovespapetrobras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.