Bovespa fecha em alta pelo 3º dia consecutivo

Entrada de investidores estrangeiros continua a sustentar o avanço da Bolsa, que subiu 1,16% na sessão

Claudia Violante, O Estado de S. Paulo

06 Abril 2015 | 17h52

A Bovespa teve nesta segunda-feira, 6, seu terceiro pregão sucessivo de ganhos, sustentado ainda pelo fluxo comprador do investidor estrangeiro. O índice arriscou romper mais um patamar, o de 54 mil pontos, o terceiro em três sessões. Mas perdeu força no final e se manteve nos 53 mil. Petrobrás, que ultrapassou 2,5% de ganhos, virou a minutos do final e foi uma das responsáveis pelo término mais fraco do índice. 

O Ibovespa terminou a sessão em alta de 1,16%, aos 53.737,26 pontos, renovando o maior nível desde o final de novembro. Na mínima, marcou 53.122 pontos (estabilidade) e, na máxima, 54.146 pontos (+1,93%). No mês, que coincide com esses três pregões no azul, acumula elevação de 5,06%. No ano até hoje, avança 7,46%. O giro financeiro totalizou R$ 6,127 bilhões. 

O fluxo estrangeiro, segundo profissionais, é o que tem sustentado a valorização da Bovespa. A queda da bolsa em dólar, somada ao excesso de dinheiro e ao clima mais ameno na política brasileira explicam a decisão de investimento nas ações brasileiras. 

Pelos dados mais recentes divulgados hoje pela BM&FBovespa, os investidores estrangeiros ingressaram com R$ 341,913 milhões na Bolsa na última quarta-feira (01/04). No ano, o superávit de recursos estrangeiros totaliza R$ 10,207 bilhões na Bovespa

O payroll divulgado nos EUA na última sexta-feira foi fraco e criou atração para os mercados emergentes, à medida que trouxe a percepção de início mais tardio para o aumento dos juros nos EUA. 

As bolsas norte-americanas terminaram em elevação hoje e também favoreceram o comportamento do Ibovespa. O Dow Jones encerrou a sessão em alta de 0,66%, aos 17.880,85 pontos. O S&P 500 teve valorização de 0,66%, aos 2.080,62 pontos, e o Nasdaq registrou ganho de 0,62%, aos 4.917,32 pontos. 

No Brasil, apesar da alta generalizada, alguns papéis foram perdendo fôlego ao longo da sessão. Caso de Petrobras, que subiu mais de 2,5% na máxima, mas fechou em queda, a despeito da valorização de mais de 5% do petróleo nesta sessão. Há ainda expectativa do mercado sobre a divulgação do balanço da empresa. 

Petrobrás ON recuou 0,19%, e a PN, 0,28%. Vale ON subiu 0,72% e Vale PNA, 0,58%.

Mais conteúdo sobre:
bovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.