Bovespa fecha em alta pelo quarto dia seguido

A máxima foi renovada em quase cinco anos com suporte de bancos; o dólar encerrou em alta de 0,21%, aos R$ 3,1756

Paula Dias, Lucas Hirata, com colaboração de Silvana Rocha, O Estado de S.Paulo

26 de janeiro de 2017 | 19h17

SÃO PAULO - A Bovespa teve nesta quinta-feira, 26, sua quarta sessão de alta consecutiva e atingiu novo pico no ano. O bom desempenho das ações do setor financeiro absorveu movimentos de correção em ações ligadas a commodities e o Índice Bovespa subiu 0,53%, aos 66.190,62 pontos, maior nível desde 26 de março de 2012. O volume de negócios totalizou R$ 8,9 bilhões.

O mercado brasileiro voltou do feriado dedicado a promover ajustes nos preços de algumas das blue chips, para acompanhar ganhos obtidos pelas ADRs nas bolsas de Nova York na quarta-feira, 25, quando o mercado brasileiro não operou. O motivo do otimismo nas bolsas em Wall Street era Donald Trump, que em seus primeiros atos vem cumprindo promessas de campanha. 

Apesar dos avanços do petróleo e do minério, as ações da Vale e da Petrobras não sustentaram o viés de alta e cederam a correções. No caso da petrolífera, houve cautela com a proximidade da divulgação do resultado financeiro de 2016. Petrobras ON e PN tiveram perdas de 1,92% e 1,50%, respectivamente. Já Vale ON e PNA, que acumulam ganhos de mais de 30% em janeiro, recuaram 1,55% e 1,54%.

Por outro lado, um conjunto de fatores positivos alavancou as ações do setor financeiro. O Santander Brasil deu a largada para os balanços e agradou os analistas ao divulgar lucro líquido de R$ 7,337 bilhões em 2016, com alta de 10,8% sobre 2015. As units da operação brasileira do Santander terminaram o dia em alta de 2,51%. Já Banco do Brasil ON  disparou 6,31%, refletindo melhora de recomendação de um banco estrangeiro. Como pano de fundo todas as ações de bancos refletem, segundo analistas, a expectativa de melhora da economia e redução da inadimplência dos correntistas. Itaú Unibanco PN (+1,35%) e Bradesco PN (+2,24%) completaram esse cenário.

Na última segunda-feira (23), o saldo dos investimentos estrangeiros na Bovespa ficou positivo em R$ 430,275 milhões. Em janeiro, o saldo acumulado é positivo em R$ 3,968 bilhões. No acumulado de janeiro, o Ibovespa tem valorização de 9,90%. 

Câmbio.  O dólar fechou em alta, mas distante das máximas. O movimento foi direcionado pelas variações do câmbio no exterior e dos juros dos Treasuries, enquanto os investidores acompanhavam sinais de recuperação econômica nos Estados Unidos e as iniciativas de Donald Trump no comando da Casa Branca. 

No mercado à vista, o dólar encerrou em alta de 0,21%, aos R$ 3,1756, com alguma distância frente à máxima de R$ 3,1942 (+0,80%). De acordo com dados registrados na clearing da BM&FBovespa, o volume de negócios somou US$ 1,507 bilhão. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.