Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Bovespa fecha em baixa antes de semana de agenda pesada

O Ibovespa recuou 0,43%, para 54.671 pontos, mas na semana acumulou variação positiva de 0,19%

Reuters,

14 de setembro de 2007 | 17h54

A sexta-feira foi de oscilação, mas no fim do dia a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) exibiu leve baixa. O desempenho evidenciou a cautela de investidores antes de uma semana carregada de indicadores que devem ditar o rumo do mercado. O Ibovespa - que mede o desempenho das ações mais negociadas na Bolsa - recuou 0,43%, para 54.671 pontos, mas na semana acumulou variação positiva de 0,19%.  Entre os eventos dos próximos dias estão a decisão do Federal Reserve sobre o juro norte-americano e a divulgação de balanços de alguns dos maiores bancos de investimentos dos Estados unidos. "Está todo mundo esperando isso (um corte de 0,25 ponto nos EUA). Se vier algum coisa diferente, o mercado desaba ou sobe (com força)", afirmou Júnior Hydalgo, diretor da Trust Investimentos.  O dia foi marcado por uma série de dados econômicos nos EUA que reforçaram a expectativa de que o banco central cortará o juro na próxima terça-feira, e pela notícia de que o BC inglês socorreu um banco que se concentra na área de hipotecas, o Northern Rock. Negociações visando o exercício de opções (mercado futuro) de segunda-feira também influenciaram o pregão.  Em Nova York, o Dow Jones avançou 0,13%, mesma variação do índice de principais ADRs (títulos de empresas brasileiras negociados no exterior) brasileiros. "Apesar do mau humor do mercado, à medida que investidores digeriram mais notícias de empresas de hipotecas enfrentando problemas de liquidez na Europa, os mercados de crédito nos Estados Unidos estão pela primeira vez experimentando alguma descompressão", afirmou a economista do Unibanco Giovanna Rocca. "Embora acreditemos que é muito cedo para dizer que a crise acabou, essa melhora significa que podemos ver queda da volatilidade nos próximos dias."  O volume financeiro na Bolsa da sessão foi de R$ 4,12 bilhões, perto da média diária do ano, com boa parte do giro concentrado nas blue chips Companhia Vale do Rio Doce e Petrobras. As ações da mineradora caíram 1,27%, para R$ 43,60, enquanto as da estatal petrolífera perderam 1,9%, a R$ 54,30 reais. Os destaques de alta ficaram por conta de TAM e Gol, que subiram 5,6% e 4,3%, respectivamente. Os papéis sofrem há meses pela crise no setor. Já Os preços do petróleo negociados nos Estados Unidos, que ontem bateram recorde, fecharam em queda de quase US$ 1 nesta sexta-feira, à medida que operadores realizavam lucros após o barril da commodity superado novamente os US$ 80 durante as operações. Em Nova York, o contrato outubro caiu US$ 0,99 e fechou cotado a US$ 79,10 por barril, tendo sido negociado entre US$ 78,75 e US$ 80,36 dólares, novo recorde de alta durante o dia. O petróleo tipo Brent negociado em Londres caiu US$ 0,84, a US$ 76,28 por barril.

Tudo o que sabemos sobre:
Aversão ao riscoMercado financeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.