Bovespa ignora vai-e-vem de Wall Street e sobe 1,5%

No meio de um intenso zigue-zague dosmercados norte-americanos, a Bolsa de Valores de São Pauloencontrou espaço para se recuperar, puxada pelas ações dePetrobras, Vale e bancos. O Ibovespa avançou 1,53 por cento, aos 64.629 pontos, maisuma vez voltando a figurar com ganho no acumulado de 2008. Ogiro financeiro foi de 6,3 bilhões. "A Bovespa voltou a refletir a dicotomia atual entre oscenários doméstico e internacional", disse Daltom Gardimam,economista da Bradesco Corretora. Segundo ele, há um claroapetite dos investidores estrangeiros pelas ações de empresasbrasileiras, movimento que se acentua sempre que há uma janelano front externo. No caso desta quarta-feira, essa janela materializou-se naindefinição das bolsas norte-americanas. De um lado, osinvestidores lamentavam a informação de que o Federal Reservedetectou desaceleração do crescimento econômico dos EstadosUnidos no início de 2008. De outro, embora o setor de serviços tenha registradocontração em fevereiro, os dados divulgados nesta quarta nãoforam tão ruins como o esperado. Assim, disse Gardimam, os investidores da Bovespaaproveitaram para comprar ações que haviam caído bastante nosúltimos pregões. Entre as líderes de ganhos nesta quarta-feira,pareceram as ações preferenciais do Itaú, com alta de 4 porcento, a 44,10 reais, e as preferenciais da Petrobras, comavanço de 2,5 por cento, a 80,60 reais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.