Bovespa interrompe série de perdas e sobe puxada por Petrobrás

Bolsa avançou 0,68% com a expectativa de que a estatal possa aprovar seu balanço financeiro de 2014 nesta quinta-feira, na reunião do conselho de administração

Clarissa Mangueira, O Estado de S. Paulo

25 de março de 2015 | 17h53

A Bovespa fechou em alta nesta quarta-feira, 25, após dias seguidos de perdas, conduzida principalmente pelo avanço das ações de Petrobrás, siderúrgicas e exportadoras. No fim da sessão, o Ibovespa indicou alta de 0,68%, aos 51.858,30 pontos. Na máxima do dia, o índice atingiu 52.319 pontos (1,58%) e, na mínima, 51.507 pontos (estável). O giro de negócios totalizou R$ 7,388 bilhões, segundo dados preliminares. No mês de março, a Bolsa tem alta de 0,53% e, no ano, ganho de 3,70%.

A Bovespa abriu o pregão em alta de mais de 1%, após acumular perdas de 0,89% nas duas sessões anteriores, impulsionada pelas ações da Petrobrás. Segundo profissionais do mercado, as ações subiram com a expectativa de que a estatal poderá aprovar o resultado financeiro de 2014 nesta quinta-feira, na reunião do conselho de administração. A alta dos preços do petróleo no exterior também ajudava. As ações PN subiram 4,79% e as ON, 5,19%.

A expectativa de que a Petrobrás poderá divulgar seu balanço auditado nos próximos dias ganhou força depois de a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e a Securities and Exchange Comission (SEC) aceitarem o método que será utilizado no cálculo do tamanho das perdas com corrupção para fechar os resultados da companhia. 

Os operadores do mercado acionário lembraram também que a alta das ações das empresas exportadoras contribuíram para os ganhos do Ibovespa. Os papéis da Fibria fecharam com avanço de 4,95% e a Suzano subiu 4,61%. "Os papéis voltados para dólar tiveram um bom desempenho hoje, acompanhando a alta da moeda ante o real após o Banco Central anunciar ontem o fim dos leilões de contratos de swaps cambiais", afirmou Ferman.

As ações PNA da siderúrgica Usiminas lideraram os ganhos da Bolsa hoje, com alta de 6,60%. Operadores consultados pelo Broadcast lembraram que os papéis das siderúrgicas têm se movido muito em cima da briga societária na Usiminas e ainda diante da expectativa de tag along para minoritários. 

Ainda no setor de siderurgia: CNS subiu 4,45%, enquanto Gerdau teve alta de 2,30%. Os papéis da mineradora Vale também subiram na sessão, com a ON (0,92%) e a PNA (0,65%). 

A alta da Bovespa contrariou as perdas registradas pelas bolsas de Nova York, que foram pressionadas pelos dados do consumo de bens duráveis nos EUA. As encomendas destes produtos caíram 1,4% em fevereiro, em comparação com janeiro, contrariando as previsões de analistas, que acreditavam em um avanço de 0,2%. No término do pregão em Wall Street, o índice Dow Jones caiu 1,62%, o S&P 500 ,1,46%, e o Nasdaq, 2,37%.

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAFECHAFINAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.